Enchentes: como sanar um problema que desafia Curitiba e muitas cidades há décadas? - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Enchentes: como sanar um problema que desafia Curitiba e muitas cidades há décadas?

Por: Elite FM
Publicado em 28/02/2019
img
Bacia de Conteção Bairro Pinheirino/Pato Branco/Foto:Laudi Carlos Vedana

Promessa da administração pública é de investimentos em obras de grande escala. Especialistas apostam em medidas alternativas e participação da sociedade. O exemplo de Curitiba também se reflete em Pato Branco com ações semelhantes. O temporal que resultou em inundação em Curitiba, na semana passada, registrou dezenas de ruas alagadas e bloqueadas, quedas de árvores, enchentes em residências mostrando que a cidade ainda não está totalmente preparada para enfrentar esse tipo de situação. Para o professor da PUC-PR Marlos Hardt, mestre em Gestão Urbana diz que é preciso um planejamento básico para fazer com que a água das chuvas siga lentamente para dentro dos cursos dos rios em trechos urbanos. Fazer cumprir a obrigação da presença de reservatórios em construções prediais, para aproveitar a água da chuva. Incentivar os telhados verdes, paredes verdes, os jardins de chuva ou biovaletas, com ações do poder público quanto da iniciativa privada. Não jogar lixo em qualquer lugar e manter programas de ensino ambiental nas escolas e universidades. São pequenas atitudes que fazem diferença. A hipermeabilização do solo nas cidades é outro grave problema e o pior é que isso não tem volta. São asfaltos, construções e ocupações em beiras de rio. Obras pontuais vão apenas controlar as enchentes por um período.É preciso criar formas de reter a água, já que os percursos naturais dos rios foram invadidos pela ganância irresponsável, principalmente das gestões públicas que permitiram essa irracionalidade. Os problemas de Pato Branco são iguais em todas as cidades,que se resumem claramente: São vinganças da natureza. A bacia de contenção do Pinheirinho,resolveu o problema dos alagamentos do Bairro Sta Terezinha. Agora está em andamento a bacia do bairro Bonato e projetada a bacia da Vila Esperança. Alagamentos não podem ser atribuídos à natureza, mas à irracionalidade do homem em não  se conscientizar de que a natureza não perdoa os erros de quem ocupa o solo desordenadamente ignorando que todas ás águas correm para o mar, e até lá têm um longo caminho invadido pela ganância  de ocupar alguns metros quadrados a mais.

 


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm

Fonte das fotos: Rádio Elite Fm