Ridendo castigat mores ou seja: Rindo se castigam os costumes - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Ridendo castigat mores ou seja: Rindo se castigam os costumes

Por: Elite FM
Publicado em 30/12/2018

O humor, no Brasil, sempre teve um viés educativo. O jornalista Gustavo Nogy escreveu na Gazeta do Povo:” Eu quero uma esquerda melhorzinha. Não essa, quase toda, que está aí. Uma esquerda que seja intransigente quando o assunto é liberdade, que exorcize de sua história qualquer menção ao comunismo, que escale os mais razoáveis para disputar eleições. Eu quero uma direita melhorzinha. Não essa, quase toda, que está aí. Uma direita que seja intransigente quando o assunto é liberdade, que exorcize de sua história qualquer menção ao autoritarismo, que escale os mais razoáveis para disputar eleições. A semelhança não é coincidência, e isso é preocupante. Entre esquerda e direita, também seria útil se mais pessoas entendessem que essas definições são precárias, fluidas, cambiáveis, historicamente condicionadas e, muitas vezes, confundem, antes de esclarecer. Desejo que políticos tenham menos poder do que têm, e que eleitores creiam menos do que creem. É impressionante: passamos anos e anos criticando o adesismo, a bajulação, a paquera de eleitores, intelectuais e jornalistas com os mandos e desmandos do PT. Quero também,  que Bolsonaro dê um jeito de aprovar a reforma da Previdência e privatizar meia dúzia de estatais estratégicas, e que lave a roupa suja, real e metafórica, na intimidade do lar e do partido. “Como disse outro dia um amigo, não faz sentido defender políticos, porque eles já têm poder demais. Que as promessas dos políticos sejam como os fiapinhos de algodão grudados na camiseta dos leitores e eleitores."


Fonte: Gustavo Nogy – GP