É possível diminuir os riscos de fraude das urnas eletrônicas? - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

É possível diminuir os riscos de fraude das urnas eletrônicas?

Por: Elite FM
Publicado em 23/09/2018

Estamos em ano de eleições para a presidência da república, período em que percebemos com mais ênfase o cenário de acirramento político que vem desde o pleito de 2014. Após a última eleição, quando a diferença entre os candidatos foi relativamente pequena, alguns setores da sociedade questionaram a legitimidade e a segurança das urnas eletrônicas utilizadas no processo eleitoral. Para reduzir os riscos de fraude, o TSE recomendou a inserção de um processo de auditoria do Sistema Eletrônico por meio da impressão do voto. Assim, o eleitor conseguiria verificar se o voto impresso corresponde ao realizado na urna e a impressão cairia automaticamente em um compartimento lacrado sem intervenção humana. Mas o TSE decidiu que a versão impressa viola a garantia constitucional do segredo do voto, já que seria possível identificar o eleitor. Por fim, o Tribunal afirmou que estudos constataram o custo relativamente mais alto do voto impresso por eleitor. Desta forma neste ano o voto será eletrônico. Partindo da premissa que não existem sistemas 100% seguros e que a auditoria pelo voto impresso não está autorizada, é razoável considerar uma mudança no foco da segurança do voto eletrônico para a realização de mais testes periódicos do Sistema Eletrônico de Votação e da flexibilização do modo como os atuais testes são permitidos. Por que será que os EUA e muitos outros países de primeiro mundo não adotaram o voto eletrônico? Por falta de tecnologia não será, com certeza.


Fonte: Matheus Jacyntho-gerente da área de cybersecurity da Protiviti