A politicagem eleitoreira matou os projetos das ferrovias brasileiras. - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

A politicagem eleitoreira matou os projetos das ferrovias brasileiras.

Por: Elite FM
Publicado em 18/06/2018
img
Imagem Photo Digital/Reprodução/internet/http://www.aestrada.com.br/

Na época do império, as ferrovias  tiveram mais avanços que a fajuta república atual, que fez até Rui Barbosa detestar o  republicanismo. Um caminhão de asfalto chama mais atenção que dois trilhos de trem. Mas trilhos têm uma desvantagem muito grande em relação ao asfalto, para os políticos:  jogar uma camada fresca de asfalto em cima nos anos eleitorais é uma boa isca para  lucrar uns votinhos fáceis. A manutenção da ferrovia é invisível, ao contrário da manutenção da rodovia. Pudera nossas ferrovias terem crescido no tempo do Império e decaído no tempo da politicagem eleitoreira que se faz chamar de república, comprovando ainda hoje as palavras de Ruy Barbosa, arrependido de seu republicanismo. A greve dos caminhoneiros mostrou o outro lado desta mesma e única politicagem: assim como com um caminhão de asfalto ganham-se votos, perdem-se facilmente muitos votos com uma greve que, ao contrário de quase qualquer outra, é capaz de estrangular completamente a economia nacional. Sem os caminhoneiros, não há nada à venda. Nem gasolina, e não duvido que tenham faltado munições e drogas para os traficantes, ou que ao menos tenham subido de preço.O Brasil é refém de um sistema que têm nos caminhoneiros, na verdade, as vítimas principais. Todo mundo, menos eles, ganha dinheiro com isso: do recauchutador de pneus ao intermediário de fretes, passando pelo empreiteiro que reforma a estrada, o político que faz conchavos com o empreiteiro, e quem mais quiser. É um sistema monstruoso, gigantesco e pútrido, que substitui um sistema ordenado de transportes por uma confusão irredimível de leizinhas eleitoreiras, conchavos políticos, lobbies e demais subsistemas encarregados de tornar mais cara e mais difícil a vida do brasileiro médio.


Fonte: Gazeta do Povo

Fonte das fotos: Imagem Photo Digital/Reprodução/internet/http://www.aestrada.com.br/