Estudos e estatísticas provam o atraso do Brasil pela falta da logística ferroviária - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Estudos e estatísticas provam o atraso do Brasil pela falta da logística ferroviária

Por: Elite FM
Publicado em 16/06/2018

O estudo  traz  dados que mostram o grau de subutilização e desperdício do potencial ferroviário brasileiro: entre 2006 e 2013, somente 7,6% dos recursos investidos na malha se destinaram à sua expansão; em 2017, 77% do transporte de carga por ferrovias consistia unicamente em minério de ferro, contra 60% em 2001; e apenas 8% da malha opera em um regime compartilhado, em que os trens de uma concessionária trafegam nos trilhos de outra, o chamado “direito de passagem”.  É preciso que haja maior protagonismo da iniciativa privada, maior abertura à competição e diversificação das cargas. A CNI identificou a origem dos problemas nos termos das concessões, elaborados na década de 90, quando o país ainda tinha pouquíssima experiência na elaboração desse tipo de contrato. O resultado é uma operação deficiente, e que ainda vai se estender por mais dez anos até que os contratos atuais expirem. Por isso, a CNI recomenda, no estudo, a prorrogação antecipada dos contratos, condicionada a novas exigências para as concessionárias, como porcentuais mínimos de investimento em melhoria e ampliação da rede, e aumento da concorrência por meio de exigências de compartilhamento de malha. É preciso que os gestores públicos entendam as evidências: os vagões de um trem transportam o equivalente a 250 caminhões. Além de um custo muito menor no frete, imaginem a poluição originada pela  combustão de diesel de 250 caminhões pelas rodovias do país,que poderia ser evitada apenas com a viagem de um trem.E o outros milhares de caminhões que rodam o país de sul a norte o dia inteiro...


Fonte: Assessoria CNI