Presidente do CFM defende autonomia médica sobre tratamento precoce, mas teme uso indiscriminado - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Presidente do CFM defende autonomia médica sobre tratamento precoce, mas teme uso indiscriminado

Por: Elite FM
Publicado em 29/03/2021
img
Presidente do CFM fala sobre tratamento precoce-Foto: Divulgação/Sesa/Governo do Paraná/Arquivo

O Conselho Federal de Medicina (CFM) salienta que ainda não há consenso científico sobre o uso de drogas no tratamento precoce da Covid-19 e defende a autonomia do médico de decidir - junto com o paciente - o que fazer em cada caso de pessoa infectada com o novo coronavírus. O presidente do órgão, Mauro Ribeiro, ressalta também que o conselho não pretende rever parecer que autoriza a prescrição do remédio por parte dos médicos brasileiros."Temos uma doença altamente transmissível, que mata. Na fase inicial, não tem tratamento reconhecido de modo indubitável por parte da ciência. Agora, há estudos observacionais que mostram o benefício de algumas drogas. As drogas que são usadas têm poucos efeitos colaterais, embora agora existam relatos de duas universidades brasileiras de cinco pacientes que teriam evoluído para morte ou fila para transplante e que isso teria sido causado por uma dessas drogas. Mas não tem comprovação científica que foi uma dessas drogas que causou. Estamos em alerta. Essa ideia de que a ciência já concluiu que essas drogas não têm efeito não é 100% verdadeira. Na literatura, tem de tudo. Ambos os lados têm trabalhos com metodologias questionáveis. Já que não há consenso na literatura, é uma doença devastadora, e que, do aspecto observacional, há algumas drogas que podem ter efeito, delegamos ao médico, junto com o paciente, decidir o tratamento. Ele tem de sentar com o paciente e explicar que é um tratamento que não tem comprovação que faça diferença e que se o paciente quiser ser tratado e o médico se disponibilizar, que seja feito. A classe médica está dividida", afirma o presidente do CFM.


Fonte: Gazeta do Povo