Após 300 mil mortes: como Congresso e governadores reagiram à criação do comitê da Covid-19 - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Após 300 mil mortes: como Congresso e governadores reagiram à criação do comitê da Covid-19

Por: Elite FM
Publicado em 26/03/2021
img
Comitê da Covid-19 marca a união entre os três poderes no combate à pandemia-Foto: Evaristo Sá/AFP

No dia em que o Brasil deve atingiu a marca de 300 mil óbitos causados pelo novo coronavírus, o anúncio da criação de um comitê para acompanhamento da pandemia e a mudança de discurso do presidente Jair Bolsonaro amenizaram, ao menos no primeiro instante, a pressão política sobre o Executivo, segundo interlocutores do Palácio do Planalto. “Ficou claro que o espírito de união nacional e esperança fará com que vençamos esse mal. Agora é implementar todas as medidas acordadas. Salvar vidas é crucial nesse momento”, comentou o ministro Luiz Eduardo Ramos, responsável pela articulação do governo com o Congresso.Na mesma linha, o ministro das Comunicações, Fábio Farias, afirmou que o foco será na ampliação da vacinação. Logo após o encontro que ocorreu na quarta-feira (24) no Palácio da Alvorada e reuniu representantes dos três poderes, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que na reunião de líderes iria tentar acordo para votação dos projetos que tratassem da pandemia. Entre os textos, existe a expectativa de votação de um texto que trate da contratação de leitos de unidades de terapias intensivas (UTI) e da compra de ventiladores pulmonares pelos empresários para doação ao Sistema Único de Saúde (SUS).Como contrapartida, os setores empresariais teriam incentivos fiscais, como a dedução no Imposto de Renda. Hoje há muitos ruídos e desinformação. Então um comitê que traga informações sobre números de vacinas, primeira dose, segunda dose, insumos, kit intubação e previsibilidade poderá acalmar a população e apontar um rota de saída dessa crise.Um dos entraves é a politização da crise em que esquerdistas continuam abertamente ou de forma disfarçada torcendo para o “quanto pior melhor”  com o objetivo de enfraquecer Bolsonaro e afirmar que o presidente seria o responsável pela situação  sem a conscientização de que é o país que precisa da união de todos.


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm