História do rádio acompanha emancipação da mulher no Brasil - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

História do rádio acompanha emancipação da mulher no Brasil

Por: Elite FM
Publicado em 16/03/2021
img
Foto: Daniela Ferreira Terres Pscheidt/Rádio Elite Fm

 O passar das décadas mostra a luta das mulheres para alcançar o espaço no meio e na sociedade. Ainda existe quem se surpreende em saber que Maria Beatriz Roquette-Pinto foi uma das primeiras locutoras do Brasil. Isto ocorreu na década de 1920, ao mesmo tempo em que seu pai Edgard Roquette-Pinto realizava as primeiras transmissões oficiais com autorização do governo. Hoje as mulheres ocupam cargos de direção, tem mais reconhecimento da voz como profissionais do jornalismo. “A informação vinda da voz feminina tem a mesma credibilidade que a do homem hoje, superamos aquela necessidade de ter voz grave e empostada”, opina a pesquisadora. Para ela, ainda há muita coisa a melhorar, e a luta por equiparação salarial e em questões que envolvem o trabalho doméstico, maternidade, divisão de tarefas fora do ambiente de trabalho, dupla, tripla jornada de trabalho que impedem profissionais capacitadas de progredirem nas carreiras, devem ser vistas como lutas da sociedade como um todo, e não só das mulheres. E o rádio tem muito a contribuir. A constatação mais importante é que o rádio segue tendo uma presença muito grande na vida das diferentes mulheres brasileiras, e um potencial enorme para seguir caminhando lado a lado na luta por direitos, que passa por espaços institucionais mas depende também de conscientização, um viés educativo que faz parte do DNA do rádio como meio de comunicação de massas. Cresce a importância que o rádio ainda tem na vida das mulheres. Tanto da mulher urbana, que escuta a rádio enquanto dirige, vai pro trabalho, leva as crianças na escola, quanto da mulher rural, do interior, com perfil de dona de casa ou não, que escuta o rádio enquanto realiza os afazeres, como entretenimento ou fonte de informação mesmo”, reflete. A mulher é o rádio formam uma dupla inseparável de companhia para todos os momentos fazendo com que a vida seja mais leve e participativa pois o rádio também troca informações e representa um veículo de maior credibilidade nos meios de comunicação. Reza um velho ditado, que “a história são os fatos, mas também nossos relatos”. Daí a importância da pesquisa, do resgate histórico e da eterna busca e preservação de nossas memórias enquanto sociedade. Para seguirmos evoluindo, sempre.


Fonte: Germano Assad – Aerp e Elite FM