Bolsonaro volta a atacar medidas restritivas. Mais de 160 milhões de crianças fora da escola - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Bolsonaro volta a atacar medidas restritivas. Mais de 160 milhões de crianças fora da escola

Por: Elite FM
Publicado em 07/03/2021
img
Presidente Jair Bolsonaro compra vacinas onde houver oferta disponível e sua preocupação é também para a economia que sustenta a pandemia.| Foto: Marcos Correa/PR

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar as medidas restritivas adotadas por prefeitos e governadores para enfrentar aquele que é o pior momento da pandemia de Covid-19 no Brasil. Um dia após o país registrar um novo recorde no número de óbitos causados pela doença, o presidente disse lamentar as mortes, mas que é preciso “enfrentar os problemas”. “Nós temos que enfrentar nossos problemas. Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando? Temos que enfrentar os problemas. Respeitar, obviamente, os mais idosos, aqueles que têm doenças, comorbidades. Mas onde vai parar o Brasil se só pararmos? Até quando vão ficar dentro de casa, até quando vai se fechar tudo? Ninguém aguenta mais isso”, disse Bolsonaro. Vacinas... Em sua live semanal, Bolsonaro disse que o Brasil irá receber “no mínimo” 20 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 em março e outras 40 milhões em abril. Nessa conta não estão as 138 milhões de doses da Pfizer e da Janssen, cuja compra foi anunciada pelo Ministério da Saúde na quarta e que deverão chegar ao país a partir de junho. Bolsonaro já havia afirmado que, se depender dele, o país jamais terá um lockdown.Há estudos que mostram que o lockdown foi ineficiente na combinação de resultados. Mas, afinal, quais os limites que o Estado tem para restringir atividades e a circulação de pessoas? Leonardo Desideri ouviu especialistas e traz as respostas para esses questionamentos. Um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) aponta que, em todo o mundo, cerca de 168 milhões de crianças ficaram fora da escola por quase um ano por causa da pandemia do coronavírus. Ainda de acordo com o relatório, 214 milhões de crianças perderam três quartos de suas aprendizagens nesse período, sendo que muitos desses meninos e meninas correm o risco de não retornar para as escolas. O Unicef destaca também outras consequências negativas do fechamento dos colégios e, diante disso, pede aos governos que priorizem a reabertura das escolas e a volta às aulas com protocolos de segurança.


Fonte: Gazeta do Povo