Falta de estrutura? Concorrência? Como o Paraná viu naufragar acordo pela Sputnik V - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Falta de estrutura? Concorrência? Como o Paraná viu naufragar acordo pela Sputnik V

Por: Elite FM
Publicado em 21/02/2021
img
Vacina russa Sputnik V ainda não está liberada no Brasil.| Foto: Juan Mabromata/AFP

Em 12 de agosto de 2020, o governo do Paraná surpreendia com o anúncio da assinatura de um Memorando de Entendimento com o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RDIF), que administra a distribuição da vacina Sputnik V contra a Covid-19, desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia da Federação Russa, o Instituto Gamaleya. Na época, foi divulgado que russos e paranaenses, por meio do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), ligado ao governo do Paraná, trabalhariam juntos para a elaboração de um protocolo a ser apresentado à Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Nas palavras do diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, tratava-se de um “primeiríssimo passo” para a entrada da vacina no país. Depois, a expectativa do Tecpar era absorver a tecnologia russa e preparar suas instalações para produzir a Sputnik V em território nacional. As conversas entre russos e paranaenses, contudo, não avançaram nem mesmo para o “primeiríssimo passo”, embora tal desfecho não tenha sido totalmente esclarecido pelas partes envolvidas. 


Fonte: Gazeta do Povo