Governo pretende aumentar o número de polos de tecnologia pelo Estado - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Governo pretende aumentar o número de polos de tecnologia pelo Estado

Por: Elite FM
Publicado em 09/02/2021
img
Parque tecnológico de Pato Branco - Foto: Laudi Vedana

 Medida, que foi retirada de pauta, pode prejudicar economia da região Sudoeste, que enxerga o mercado tecnológico como alternativa à agricultura e mola propulsora para um futuro de crescimento sustentável. No fim do mês de janeiro, o Governo do Paraná mandou para votação da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (Alep) uma alteração na lei nº 14.895, de 9 de novembro de 2005, que dispõe sobre tratamento tributário em relação ao Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) aos estabelecimentos industriais de produtos eletroeletrônicos, telecomunicação e informática em favor de alguns municípios do Paraná. O objetivo dessa lei é atrair investimentos do setor tecnológico através de benefícios fiscais. N       o projeto inicial apenas era contemplado Foz do Iguaçu e depois por projeto do então deputado, Augustinho Zucchi, foram incluídos Pato  Branco, Beltrão e Dois Vizinhos por terem a  UTFPR. Agora o governo está incluindo as cidades de Londrina, Cornélio Procópio, Campo Mourão e Guarapuava. O objetivo é criar mais polos tecnológicos dentro do Paraná, incentivando um ambiente industrial que concentre recursos humanos, laboratórios e equipamentos, e que resulte na elaboração de novos processos, produtos e serviços industriais. De acordo com o presidente do Núcleo de Tecnologia de Informação (NTI), Cleverson Brandeleiro, o assunto foi pauta desta semana com os associados, incluindo representantes do poder público municipal. “Conseguimos um benefício muito grande ao proporcionar incentivos para que as empresas de tecnologia investissem mais na região, e agora, com essa possibilidade de o incentivo se expandir para outras cidades, vamos perder a competitividade”, avalia. 


Fonte: Diário do Sudoeste