A pirâmide de Guilherme Boulos - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

A pirâmide de Guilherme Boulos

Por: Elite FM
Publicado em 24/11/2020
img
Guilherme Boulos sugeriu que contratar mais servidores é a forma de combater o déficit da Previdência do funcionalismo paulistano-Imagem:opiniao/editoriais/guilherme-boulos-Gazeta do Povo

O petismo inventou a “contabilidade criativa”, e o PSol resolveu levar a criatividade a níveis nunca vistos antes neste país. O candidato da legenda à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, apresentou uma fórmula mágica para acabar com o déficit da Previdência do funcionalismo público paulistano: contratar ainda mais servidores. Fazer concurso é uma forma de arrecadar mais para a Previdência pública e equilibrar a conta com os inativos. É isso que vou fazer”, disse. Mas o raciocínio do candidato de extrema-esquerda é tão absurdo que, muito provavelmente, ele não tem a menor ideia de quantas pessoas seria preciso contratar para “equilibrar a conta com os inativos”. O município de São Paulo para “equilibrar a conta” a receita teria de aumentar mais de seis vezes. Seria preciso inchar o funcionalismo paulistano de maneira inédita para fazer valer a peculiar matemática de Boulos. Boulos não está inventando nada; ele apenas levou ao ridículo extremo o que parece ser uma dificuldade clássica de políticos, principalmente da esquerda, em entender como funcionam as contas públicas. E, por fim, o buraco mais evidente na solução mágica do líder sem-teto é o simples fato de que todo esse exército de novos funcionários públicos um dia também irá se aposentar e passar para o lado da despesa, o que exigiria, na lógica do candidato do PSol, ainda mais contratações... Um candidato à prefeitura de S.Paulo com esse raciocínio mereceu a ridicularização de economistas e de qualquer pessoa com bom senso. Na verdade a esquerda nunca apresentou nada de positivo e agora apontar que para sanar o déficit da previdência é preciso contratar mais, chega ao cúmulo do desastre  administrativo. Sua proposta é mais desastrosa que a da Dilma quando propôs ensacar o vento.


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm