Por que a inflação voltou a subir e quais os riscos para o país - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Por que a inflação voltou a subir e quais os riscos para o país

Por: Elite FM
Publicado em 30/10/2020
img
A inflação está com viés de alta e o preço dos alimentos é um dos principais fatores que explicam esse aumento.| Foto: Daniel Castellano/Arquivo/Gazeta do Povo

É verdade que o brasileiro passou muito mais tempo sofrendo com o dragão da inflação do que aproveitando o período em que ela está sob controle. Essa situação de inflação controlada, na meta ou até mesmo abaixo dela que ocorreu nos últimos anos, deixou uma sensação mais confortável de controle e previsibilidade, e é por isso que a atual disparada, classificada como muitos economistas como uma surpresa, traz um temor por rememorar períodos mais difíceis de remarcação de preço.O recente avanço da inflação exige atenção, mas não tende a ser um risco grave para o país: a avaliação majoritária é que ela não está descontrolada. Porém, a pressão nos preços deve continuar nos próximos meses e é esperado para 2021 um aumento gradual na taxa básica de juros, a Selic, justamente para controlar a inflação.Os principais índices que medem a variação de preços subiram, mas não na mesma medida. Os indicadores de preços ao consumidor são mais pressionados pela alta dos alimentos, mas têm o alívio da pouca variação de itens de serviços. Os que refletem os custos da produção industrial e da construção civil, por sua vez, são mais fortemente afetados pelo dólar e pelo preço das commodities, e aceleraram.Principal termômetro da inflação ao consumidor, o IPCA acumulado nos últimos 12 meses está em 3,14%. O IGP-M – que reflete mais os preços ao produtor e no atacado – ultrapassou a barreira dos dois dígitos e está em 17,94% em 12 meses, dos quais 14,40% só no acumulado de janeiro a setembro.Quatro fatores pesam para a alta da inflação:O aumento do preço dos alimentos- A valorização das commodities- A taxa de câmbio, com a desvalorização do real em relação ao dólar-As mudanças de hábitos,problemas de safra e situações sazonais.


Fonte: Gazeta do Povo