Cidades inteligentes é a senha para as cidades evoluíram com sustentabilidade - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Cidades inteligentes é a senha para as cidades evoluíram com sustentabilidade

Por: Elite FM
Publicado em 23/10/2020
img
Foto: Luisa Kneip /www.gazetadopovo.com.br/vozes/eduardo-ribeiro

Atualmente, Pato Branco conta com duas incubadoras: a Incubadora de Tecnologia da Pato Branco, com 22 empresas, e outras 10 empresas incubadas no Programa de Empreendedorismo e Inovação (PROEM) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).O município é o quarto do Estado  com  mais de 100 empresas de tecnologia e tem uma infra estrutura de universidades, faculdades, escolas de formação técnica com mais de 50 cursos que permitem evolução para uma  Pato Branco inteligente. Cidades inteligentes são aquelas que usam tecnologias digitais para coletar e gerir informações em tempo real e, assim, melhorar a gestão de recursos e a prestação de serviços públicos. Além disso, em uma cidade inteligente, os dados coletados são abertos à sociedade civil, tornando a relação entre a população e o poder público mais transparente e possibilitando a cooperação na construção de soluções. Amsterdam é um exemplo de cidade inteligente. A partir de uma vasta gama de projetos foi possível gerir melhor o tráfego para reduzir engarrafamentos, facilitar o acesso a vagas com o auxílio de aplicativos, tornar o sistema de iluminação mais eficiente e econômico, e até mesmo auxiliar a Holanda em seu programa de proteção contra inundação, economizando mais de 8 bilhões de euros. A participação de organizações da sociedade civil, empresários, universidades, o setor de tecnologia e especialistas são fundamentais para discutir as principais necessidades da cidade. Após identificados e elencados os problemas, as soluções cooperativas e parcerias com a academia e o setor privado podem resultar em equipes multidisciplinares com abordagens inovadoras. Para que a dinâmica do processo de criação cooperativa gere aprendizado contínuo, é necessário haver um espaço em que novas soluções possam ser testadas como projetos-piloto e, posteriormente, avaliadas e aplicadas para toda a cidade. Cidades inteligentes já são uma realidade no mundo e o Brasil não pode ficar de fora desta nova onda de inovação, que dá mais poder ao cidadão para transformar a realidade de sua sociedade, reduz os custos do Estado e ajuda a melhorar a vida da população.


Fonte: Eduardo Ribeiro-Gazeta do Povo