Retomada com inflação: por que o material de construção está mais caro e chega a faltar - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Retomada com inflação: por que o material de construção está mais caro e chega a faltar

Por: Elite FM
Publicado em 29/09/2020
img
Custo de materiais de construção subiu em 2020| Foto: LineuFilho/Tribuna do Paraná

Em Pato Branco são inúmeras as empresas que não conseguem repor estoques a contento. Há atrasos superiores a 6  meses. Não é só o preço do arroz que está nas alturas. Alguns materiais de construção tiveram aumentos expressivos desde o começo do ano – e chegam até mesmo a faltar nas lojas, ainda que momentaneamente. Esse cenário impacta tanto a vida do brasileiro comum, que resolveu fazer pequenas reformas na casa, quanto a de grandes empresas de construção civil, que também atuam nos segmentos de obras públicas e moradias populares. As razões para o aumento dos preços são variadas. Alguns itens, como aqueles que têm cobre, sofrem o impacto do câmbio: o produto é uma commodity, é importado e o real está desvalorizado perante o dólar. Cimento e aço tiveram a produção interrompida durante o início da pandemia e as atividades retomadas não alcançaram o patamar produtivo anterior à crise sanitária. Enquanto isso, a demanda por esses produtos cresceu. A construção civil foi considerada atividade essencial pelo governo federal em maio, mas diversos estados já haviam liberado antes mesmo na normativa federal, como São Paulo e Paraná, que permitiam a atividade desde abril. A alta dos preços de materiais de construção foi captada em indicadores de inflação, como o IPCA, medido pelo IBGE. No acumulado dos oito primeiros meses de 2020, o cimento teve variação de 10,67% e o tijolo, de 16,86%, por exemplo. O Índice Nacional de Custo da Construção-M (INCC-M), da FGV, registra alta de 3,39% no acumulado até agosto. O item materiais e equipamentos tem alta um pouco maior, de 5,05%.


Fonte: Gazeta do Povo