Ministério da Saúde orienta escolas sobre a volta às aulas: termômetro, máscara e distanciamento - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Ministério da Saúde orienta escolas sobre a volta às aulas: termômetro, máscara e distanciamento

Por: Elite FM
Publicado em 23/09/2020
img
Modelo de sala de aula com distanciamento proposto pelo governo do Paraná-Foto: Divulgação Seed/Gazeta do Povo

As escolas de educação básica devem medir a temperatura de alunos e professores, obrigar que seja feito o uso de máscara e respeitar o distanciamento mínimo de 1 metro para a volta às aulas presenciais durante a pandemia da Covid-19. As orientações são do Ministério da Saúde e constam em um documento divulgado na sexta-feira (18).A data para o retorno é definida por estados e municípios. No documento, o ministério recomenda que a volta de alunos e profissionais com doenças crônicas deve ser avaliada "caso a caso". O guia não tem força de ditar as regras nas unidades de ensino, mas serve como orientação. O Ministério da Saúde não mencionou qual deve ser ocupação máxima das salas de aula, mas recomenda que estejam limpas e bem ventiladas. A pasta também informou que já repassou R$ 545,3 milhões para o apoio à retomada das aulas a municípios que participam do programa Saúde na Escola. A verba é destinada para a compra de materiais de limpeza e desinfecção, álcool em gel ou líquido 70% máscaras, termômetros infravermelhos, além da "promoção da saúde e prevenção" da covid-19.No documento, o Ministério da Saúde salienta quais são os principais cuidados gerais contra a Covid-19, como uso constante de máscara, cuidados ao tossir e espirrar, higienização dos ambientes e distanciamento mínimo de 1 metro."Temos de nos adaptar à nova realidade. Onde vamos absorver hábitos, tudo isso aliado a uma futura vacina. Mas não podemos parar de viver. E com toda a segurança possível temos de iniciar essa retomada das atividades, que são necessárias até para a nossa saúde mental", disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, em entrevista à imprensa.


Fonte: Gazeta do Povo