Ensino médio público no Brasil tem maior alta no desempenho desde 2005 - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Ensino médio público no Brasil tem maior alta no desempenho desde 2005

Por: Elite FM
Publicado em 17/09/2020
img
Ensino médio público brasileiro teve a maior alta no Ideb desde 2005| Foto: Divulgação/Gazeta do Povo

O ensino médio público brasileiro teve a maior alta no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) desde que a avaliação começou a ser feita com a atual metodologia, em 2005. De 2017 a 2019, as escolas de ensino médio estaduais tiveram um salto de 0,4 ponto no índice – de 3,5 para 3,9. Os dados foram divulgados  pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).O Ideb, que examina a qualidade de ensino das escolas no Brasil a cada dois anos, é obtido a partir de um cálculo que leva em conta dois fatores: uma avaliação dos alunos nas disciplinas de português e matemática, chamada Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), e a taxa de aprovação dos alunos informada pelas escolas Goiás e Espírito Santo foram os estados com os melhores índices para o ensino médio estadual: 4,7 e 4,6, respectivamente. O Paraná foi o que teve o maior crescimento, de 0,7 ponto, passando de 3,7 para 4,4.Para Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ), o resultado é animador. Ela sugere que o empenho das escolas em se preparar para a adoção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) talvez possa explicar, em parte, esse aumento.“O Brasil inteiro se mobilizou para elaborar o currículo nacional, a Base Nacional Comum Curricular, com todas as suas qualidades e defeitos, e a aprendizagem passou a ser um tema relevante”, diz. Outra possibilidade, segundo ela, é que o aumento seja o reflexo da melhoria do ensino fundamental, que vem tendo desempenhos cada vez mais altos no Ideb desde 2005. O fluxo de alunos mais bem preparados do fundamental para o médio poderia justificar, em parte, a subida no índice.O crescimento de 0,7 do Paraná, segundo Costin, pode ter a ver “com uma abordagem mais contemporânea” no âmbito da educação.“O Renato (Feder, secretário de Educação do Paraná) tem uma visão mais voltada para a juventude. Ele trabalhou muito com a questão da tecnologia, mas uma tecnologia muito voltada para o aprendizado, e “não só dar computadores ou tablets para os jovens e pronto”, afirma. Segundo a especialista, o aumento de 0,7 ponto no índice do Paraná “mostra que a abordagem dele fez a diferença”.


Fonte: Gazeta do Povo