Sete de setembro: como estimular o conhecimento histórico que acompanha o feriado - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Sete de setembro: como estimular o conhecimento histórico que acompanha o feriado

Por: Elite FM
Publicado em 07/09/2020
img
Obra de Pedro Américo ilustra o momento em que o Brasil se tornou independente – Reprodução/RIC Mais/ND

Mesmo sem desfiles e atividades presenciais nas escolas, que costumam promover o debate sobre o tema, a data pode ser trabalhada no ensino remoto e também em casa. Todo ano, em setembro, na chamada Semana da Pátria, que abrange o feriado de 7 de setembro, data da Proclamação da Independência do Brasil, é bastante comum escolas promoverem atividades abordando o tema e ajudando a estimular o conhecimento histórico por trás do feriado. Os desfiles cívicos também fazem parte do calendário de comemorações dessa data. Este ano, com a pandemia, os desfiles estão suspensos e as atividades previstas no calendário escolar precisarão sofrer adaptações por conta do ensino remoto. De acordo com o coordenador da Assessoria de História, Filosofia e Sociologia do Sistema Positivo de Ensino, Norton Frehse Nicolazzi Junior, essa não é uma data apenas para ser comemorada com um feriado. "É importante entender efetivamente o significado histórico dessa data, o que ela representou para a época em termos de transformações e rupturas e também em termos de permanência do pensamento colonial", explica. Para o educador, um papel importante da escola e do professor como mediador desse conhecimento é combater a tradicionalidade da história que vem desde a década de 1930, com a construção de um nacionalismo que atendia a interesses políticos e se perpetuou por muito tempo. "Atualmente, quando pensamos nessas comemorações do 7 de setembro, é preciso destacar que não se trata apenas do desfile, da aula sobre a independência, mas entender o que há de relevante nisso tudo". Patriotismo verdadeiro é resultado de uma educação em que prevaleçam os interesses do país, que por sua vez reproduzem benefícios sociais e econômicos para todos indistintamente.


Fonte: Central Press