Transferência do imóvel do Lar dos Idosos gera preocupações em Pato Branco - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Transferência do imóvel do Lar dos Idosos gera preocupações em Pato Branco

Por: Elite FM
Publicado em 23/08/2020
img
Lar S.Vicente de Paulo de Pato Branco – Foto arquivo Diário do Sudoeste

Atitudes de membros do Conselho Metropolitano de Maringá — vinculado à Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP) — estão preocupando entidades de Pato Branco. O imóvel do Lar dos Idosos São Vicente de Paulo, com valor acima de R$ 2,8 milhões, foi transferido para o Conselho Metropolitano no dia 21 de julho. Todas as entidades envolvidas juntamente com a Fiep, Irdes estão enviando ofício ao Conselho Metropolitano de Maringá, entidade vinculada à Sociedade São Vicente de Paula (SSVP).Além disso, as entidades estão encaminhando pedidos de informações à Câmara Municipal, à Prefeitura e ao Ministério Público. Entendem que o Lar dos Idosos foi edificado não por uma entidade Vicentina, mas a partir da integração de toda a comunidade e com recursos do erário público. Assim, eles consideram estranha a desvinculação de 100% da área do Lar dos Idosos ao seu real CNPJ. num potencial desvirtuamento, do ponto de vista das entidades e de membros da sociedade. Para Cláudio Petrycoski, vice-presidente da Fiep, com a transferência do terreno do Lar dos Idosos para entidade de outra região a comunidade tem razão de ficar surpresa, já que historicamente participou ativamente da viabilização do Lar. Há grande expectativa sobre o assunto e a resposta e postura do Conselho Metropolitano de Maringá daqui para frente.   O presidente do Irdes, Marcelo Dalle Teze  declarou: “Existe o legal, mas também o moral. E, pelo que há entendimento, a sociedade de Pato Branco quer que o terreno permaneça em seu CNPJ original”. A Paróquia São Pedro Apóstolo informou inicialmente, o interesse em aceitar, contudo, diante da provável transferência patrimonial, declinou do interesse, por entender que não haveria a segurança jurídica necessária à assunção das responsabilidades. As entidades buscam uma posição rápida e esclarecedora do Conselho Metropolitano de Maringá (Vicentinos). 


Fonte: Assessoria