Plano de Bolsonaro p ra 2022 passa pela escolha de um novo vice. Saiba quem tem chance - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Plano de Bolsonaro p ra 2022 passa pela escolha de um novo vice. Saiba quem tem chance

Por: Elite FM
Publicado em 23/08/2020
img
Hamilton Mourão ao lado de Bolsonaro: atual vice com relativa frequência expressa opiniões diferentes das do bolsonarismo-Foto: Bruno Batista /VPR/Gazeta do Povo

O vice-presidente Hamilton Mourão disse ser contra o "instituto da reeleição". “Não ficou bem. Vejo que os nossos gestores são eleitos já pensando na eleição seguinte: ‘tenho que ficar esses quatro anos e depois mais quatro anos’. Seria melhor se tivéssemos mandatos de cinco anos e depois dava um interregno. Isso favoreceria a alternância no poder”, declarou, durante uma transmissão na internet. Mourão pode ser poupado de confrontar sua consciência. O presidente Jair Bolsonaro, que já pensa em se reeleger, estuda escolher outro nome para compor sua chapa na disputa de 2022 como parte de sua estratégia eleitoral. Mas quem então seria o "futuro" vice de Bolsonaro? Segundo reportagens, Bolsonaro estaria à procura não apenas de outro nome para o lugar de Mourão, mas também de uma alteração no perfil da vice-presidência. Para o lugar do General Mourão, Bolsonaro pode optar por uma pessoa ligada ao segmento evangélico, grupo que dá suporte ao seu mandato, ou uma representante de um partido tradicional – em um movimento que serviria ainda para neutralizar uma possível corrente de oposição. O nome da política tradicional que vem sendo cotado nos bastidores é o da ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Ela foi destacada como possível vice também em comentário no Canal Rural do jornalista Alexandre Garcia. Seu trabalho à frente do ministério figura entre os mais aprovados da Esplanada. Tem perfil técnico e mantém, até o momento, sua pasta alheia a polêmicas. Ela foi considerada recentemente por líderes do Congresso Nacional como a melhor ministra do governo Bolsonaro, deixando Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) na segunda posição, em levantamento feito pelo site Congresso em Foco. Ela também representaria o aval do agronegócio, um segmento de peso para a economia e também para a política. Além disso, a ministra é filiada ao DEM, partido de relevo na política nacional que tem integrantes que compõem o chamado Centrão da Câmara. 


Fonte: Gazeta do Povo