Servidores, diplomatas, políticos: quem ganha mais e quem tem mais isenções no Imposto de Renda - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Servidores, diplomatas, políticos: quem ganha mais e quem tem mais isenções no Imposto de Renda

Por: Elite FM
Publicado em 30/07/2020
img
Dados da Receita Federal mostram que, em 2018, renda média de membros do Ministério Público era a maior entre as 135 ocupações que declararam o Imposto de Renda. Foto: João Américo /Secom/PGR/Gazeta do Povo

Reforma tributária precisa reduzir o tamanho do Estado: Um monstro disforme com gastos absurdos. Os 30,2 milhões de brasileiros que declararam Imposto de Renda em 2018 tiveram rendimento total de quase R$ 3,1 trilhões naquele ano, o que equivaleria a uma renda mensal média de R$ 8,5 mil. No topo das profissões que têm a maior renda média por mês estão algumas carreiras do funcionalismo, como membros do Ministério Público e Poder Judiciário, médicos, atletas e dirigentes de partidos políticos. Esses últimos também aparecem no ranking dos maiores rendimentos isentos de tributação. Os dados constam no relatório Grandes Números IRPF – Ano-Calendário 2018, Exercício 2019, divulgado pela Receita Federal em junho deste ano. Quem declara Imposto de Renda tem 135 opções de ocupações para se registrar – e isso inclui o “não informado” e “outras ocupações não especificadas anteriormente”, que somaram 11,1 milhões de declarações. Dentre as designadas, algumas carreiras do setor público são as que dominam a lista dos maiores rendimentos. No topo desse ranking, aparece o titular de cartório, com renda média mensal de R$ 103,1 mil. Entre as dez carreiras com maiores salários, seis são do setor público – incluindo as quatro primeiras do ranking. O maior rendimento é de membros do Ministério Público (procuradores e promotores). Foram 14.365 declarações desses profissionais, que tiveram renda média mensal de R$ 53.486,48. Logo atrás aparecem os integrantes do Poder Judiciário (ministro, juiz e desembargador) e de Tribunal de Contas (ministro e conselheiro): as 21.185 declarações representam um rendimento médio de R$ 51.766,19. Logo após aparecem os diplomatas e afins – são 2.723 pessoas que receberam em média R$ 39.784,55 – e advogado do setor público (linha que inclui procurador da Fazenda, autarquias e fundações, consultor jurídico e defensor público): são 29.115 declarações cujo rendimento pagamento mensal era de R$ 30.883,28, em média. As outras duas carreiras públicas entre as dez mais bem remuneradas são as do Banco Central, CVM e Susep (foram 5.074 declarações com rendimento médio mensal de R$ 28.905,53) e de auditores fiscais e de fiscalização (as 64.665 declarações feitas tiveram renda de R$ 27.848,66, na média do mês). 


Fonte: Gazeta do Povo