Fundeb: É preciso mais do que recurso financeiro para mudar educação - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Fundeb: É preciso mais do que recurso financeiro para mudar educação

Por: Elite FM
Publicado em 22/07/2020
img
Escola pública de Sobral,no Ceará.Município tem a melhor educação do Brasil-Foto: Divulgação/Gazeta do Povo

Na verdade, mais recursos não significa melhor educação. O Congresso está prestes a decidir o futuro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).No meio educacional, a previsão é de que parlamentares aprovem "com folga" a proposta  que aumenta a parcela de contribuição da União para o fundo de 10% para 20%, até 2026. O Brasil está entre as nações que mais investem em educação. Enquanto aqui 6% do PIB é direcionado à área, países da OCDE destinam, em média, cerca de 5,5% à educação. Quando se olha para os resultados no Pisa, no entanto, figuramos na posição 147, uma das últimas colocações. O Brasil nunca teve projeto de Estado para a Educação e principalmente o Congresso, responsável pelas leis, sempre apelou para a demagogia verbal pregando que educação, saúde e segurança seriam prioridade, mas na prática funcionou a teoria de que  quanto mais ignorante o povo ficar, maIs favoráveis ficam a corrupção e benesses particulares. Como explicar se a lei diz que o maior salário seria em torno de R$ 36 mil e um contingente enorme do funcionalismo chega a ultrapassar os R$ 200 mil com os penduricalhos e pior, livres de impostos. Os recursos para a educação são mal empregados. O custo por aluno universitário chega a 15 mil dólares, ou seja mais de R$ 50 mil por aluno e o retorno é decepcionante. Os alunos do fundamental e médio ficam na escola 11 anos e saem sem saber ler, interpretar, escrever um parágrafo com logicidade  e péssimos em matemática. Dobrar os recursos provou que não houve melhora significativa da realidade educacional. O que houve de fato foi redução do nível estatístico da educação para mostrar que o país avançou, mas na canetada e não na realidade, salientando-se que há evasão de 30%. O Ceará, estado relativamente pobre desponta com os melhores indicadores de qualidade de educação no Brasil. Para especialistas, os resultados educacionais das escolas cearenses são significativamente superiores ao esperado, quando se considera seu contexto socioeconômico. O novo Fundeb deve melhorar a gestão e seus mecanismos de aplicação e sair da pedagogia pregada há mais de 50 anos, sendo hoje totalmente anacrônica, pois o mundo mudou, a realidade é outra e o Brasil ainda persiste em conteúdos que não condizem com as mudanças existentes. 


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm