Com direito a bacalhau: quanto as viagens de Rodrigo Maia ao Rio custaram ao contribuinte - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Com direito a bacalhau: quanto as viagens de Rodrigo Maia ao Rio custaram ao contribuinte

Por: Elite FM
Publicado em 15/07/2020
img
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em coletiva de imprensa: parte das viagens ao Rio não tinham agenda oficial. Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

As viagens do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para sua casa no Rio de Janeiro, fora do período crítico da epidemia da Covid-19, custaram R$ 292 mil ao contribuinte. Os valores incluem despesas com diárias, passagens de segurança e com os jatinhos da Força Aérea Brasileira em um período de 100 dias. Contando as viagens internacionais, os custos superam R$ 1 milhão. No dia 10 de janeiro, uma sexta-feira, Maia voou para o Rio de Janeiro, sem agenda oficial. Lá permaneceu até o dia 14, acompanhado por cinco seguranças que receberam um total de 22 diárias. A maioria deles havia chegado no dia anterior. Quatro deles fizeram o deslocamento em voo de carreira. As passagens e diárias custaram R$ 16,8 mil. Com o custo do jatinho, a conta fechou em R$ 39 mil. Em 14 de janeiro, uma quarta-feira, o jatinho da FAB levou Maia para São Paulo. No mesmo dia, o presidente da Câmara seguiu para o Rio, onde uma escolta de cinco seguranças o aguardava. No dia 17, uma sexta-feira, o presidente retornou a São Paulo. Os gastos com passagens aéreas e diárias de seguranças chegaram a R$ 30,6 mil. Um deles recebeu 8,5 diárias, num total de R$ 5,6 mil. Incluindo a despesa com o avião oficial, o total da viagem chegou a R$ 46 mil. Não há registros na agenda de Maia nesses dias. O presidente da Câmara retornou ao seu local de residência nos dias 21, 26 e 30 de janeiro (sendo que Congresso estava em recesso); 21 de fevereiro; e em 12 e 19 de junho; sempre aos finais de semana e sem agenda oficial. Em 7 de fevereiro, uma sexta-feira, Maia esteve no Rio em missão oficial – um almoço no Rei do Bacalhau, em Duque de Caxias, para tratar do futuro das concessões das rodovias no estado. Em 10 de fevereiro, uma segunda-feira, houve um café da manhã na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro e uma homenagem na Associação Comercial, no Almoço do Empresário. Na maioria das viagens, Maia foi acompanhado por quatro seguranças. Eles geralmente viajam antes da comitiva para a atividade precursora, quando planejam a segurança do presidente da Câmara. Quando ele está na cidade, fazem proteção pessoal e escolta motorizada. Nos dias 12 e 19 de junho, os voos do presidente da Câmara para o Rio estão registrados nos arquivos da FAB como sendo de “serviço”, mas ele viajou à capital fluminense nas sextas-feiras. Segundo informações da assessoria do presidente, ele também costuma viajar ao Rio para reuniões políticas e partidárias. Todas as viagens nacionais custaram R$ 133 mil em diárias e passagens, mais R$ 433 mil em voos da FAB, num total de R$ 566 mil. Mas aconteceram também as viagens internacionais. Nós, contribuintes pagamos essa conta que demonstra o respeito para com o dinheiro público. O congresso consome R$ 30 milhões por dia. Num país sério, isso não aconteceria. É por isso que ”Sem educação não há salvação”). Povo educado faz cobranças e impõe respeito ao dinheiro público, sendo ele que paga a conta.


Fonte: Lúcio Vaz-Gazeta do Povo