Ratinho Junior anuncia “quarentena restritiva” para conter avanço do coronavírus - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Ratinho Junior anuncia “quarentena restritiva” para conter avanço do coronavírus

Por: Elite FM
Publicado em 02/07/2020
img

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou uma série de medidas restritivas que começaram a valer na quarta-feira (1º de julho) para tentar conter a proliferação do coronavírus no estado. A“quarentena rigorosa” anunciada pelo governador prevê o fechamento, por 14 dias, das atividades não essenciais nas regionais de Cornélio Procópio, Londrina, Cianorte, Cascavel, Foz do Iguaçu, Toledo, Curitiba e Região Metropolitana. O governador explicou que deverão ser fechadas temporariamente todas as atividades econômicas que não constem no decreto 4317/2020 do governo do estado, que determinou quais são as atividades essenciais no Paraná. De acordo com o decreto, estão restringidas as atividades de shoppings, galerias, comércio de rua, feiras, salões de beleza, academias, bares e casas noturnas. Também deverão ser fechadas as lojas de conveniência dos postos de combustíveis. Restaurantes e lanchonetes poderão atender somente no sistema drive-thru, delivery ou take away (retirada no balcão). Reuniões de trabalho presenciais estão restritas ao máximo de cinco pessoas. O funcionamento dos mercados ficará restrito de segunda a sábado, das 7h às 21h. O fluxo ficará limitado a 30% da capacidade total, devendo ser controlado com a distribuição de senhas. O acesso será limitado a uma pessoa da família e está proibida a entrada de menores de 12 anos. Lembramos que a “quarentena rigorosa” anunciada pelo governador prevê o fechamento, por 14 dias, das atividades não essenciais nas regionais de Cornélio Procópio, Londrina, Cianorte, Cascavel, Foz do Iguaçu, Toledo, Curitiba e Região Metropolitana. O governador explicou, também, que as medidas serão localizadas porque a situação crítica é observada em sete das 22 regionais de saúde do Paraná, onde estariam concentrados 75% dos casos registrados no estado. 


Fonte: Gazeta do Povo