A maioria silenciosa e as minorias barulhentas: Em resumo, de cada quatro participantes da enquete sobre isolamento social, três querem cautela na volta - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

A maioria silenciosa e as minorias barulhentas: Em resumo, de cada quatro participantes da enquete sobre isolamento social, três querem cautela na volta

Por: Elite FM
Publicado em 01/07/2020
img
Resultado de enquete sobre isolamento do colunista Alexandre Borges-Gazeta do Povo

Acabamos de concluir a quarta “Enquete do Borges” para a Gazeta do Povo e, mais uma vez, o resultado ajuda a traçar um perfil aproximado do sentimento das pessoas. A pesquisa não tem caráter científico e serve como um indicador imperfeito e impreciso, mas muito interessante sobre como nosso público está avaliando a conjuntura brasileira e suas perspectivas. Para votar, é preciso passar por algumas etapas que ajudam a diminuir a chance de manipulação dos resultados por robôs. Na primeira enquete público era favorável à maneira como o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta na condução da pandemia, guiado pela ciência ( mas houve controvérsias até pela OMS. Na segunda enquete o leitor se mostrou mais  cético e achou que a realidade será pior do que as previsões. Na terceira enquete, nossa dúvida era se o leitor aprovava ou não as manifestações que estavam ocorrendo naqueles dias e qual sua visão sobre o vandalismo e a depredação de patrimônio. Os participantes da enquete, de forma quase unânime, disseram que a lei e a ordem são inquestionáveis e as manifestações devem estar sempre, sem exceção, dentro dos limites legais. Agora a quarta enquete teve como tema a pandemia do novo coronavírus e quis saber se nossos leitores concordavam ou não com o relaxamento das regras de isolamento social. 40% acreditam que ainda não é hora de relaxar, 35% acham que podemos retomar aos poucos e 25% querem a volta imediata, ou seja 60% querem a volta às atividades. Todavia há opiniões cautelosas sim, mas muito racionais  de pessoas que colocam o isolamento mais restritivo para  quem é de risco e as demais voltarem às atividades com a devida cautela, o que provou ser mais, eficiente para o país, pois a economia não se sustenta  sem o trabalho e há muita gente que perdeu fonte de renda, milhares de pequenas empresas fechando as portas, amargando depressão, desânimo e sem apoio. O drama social é tão destruidor quanto à pandemia. Ficou provado que ciência também tem limites quando outro poder mais forte de levanta. Bom senso, meio termo ou a virtude está no meio, como diziam os romanos, são demonstrações que sempre produzem efeitos positivos.


Fonte: Alexandre Borges-Gazeta Povo e Elite FM