Quanto custa para o Estado um leito de UTI Covid? - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Quanto custa para o Estado um leito de UTI Covid?

Por: Elite FM
Publicado em 30/06/2020
img
Ocupado ou livre, leito de UTI tem custo diário para o Estado-Foto: Divulgação CHC/Gazeta do Povo

A ocupação de leitos de UTI tem sido um dos itens mais preocupantes das últimas semanas no enfrentamento à pandemia de Covid-19, causada pelo coronavírus. Estado e municípios aumentaram o alerta e endureceram as medidas de isolamento social quando as taxas de ocupação superaram os 70% em duas regionais do estado (Leste e Oeste). Curitiba chegou a ter 86% de seus leitos ocupados e Cascavel, 90%. Mas, além da rotatividade entre pacientes com alta médica, óbitos e novos internamentos, a taxa de ocupação que, na última sexta-feira, estava em 63% no estado e 77% na capital, também é influenciada pelo número de leitos ativados pelas autoridades. "De acordo com o plano de enfrentamento à Covid-19 do estado e o contrato já pré-acordado com as administrações dos hospitais, cada leito ativado para a Covid-19 rende ao hospital uma "indenização" de R$ 800,00 por dia pelo compromisso de não ocupá-lo, deixando livre para pacientes Covid. Quando o leito vem a ser ocupado, o valor da diária passa para R$ 1.600,00. “Para os hospitais que já são administrados pela Secretaria, nós não pagamos essa diária, pois já está incluído no nosso custo. Para todos os demais, há esse contrato”, explica o diretor de Gestão em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SESA), Vinícius Filipak.O estado ainda paga uma diária de R$ 300,00 para os leitos de enfermaria ativados para pacientes contaminados ou suspeitos de estarem com o coronavírus, independentemente de ocupá-los ou não. “Há um repasse de R$ 6 milhões mensais do Ministério da Saúde para leitos de UTI habilitados pelo governo federal neste mesmo modelo. “O ministério não reserva leitos de enfermaria”, acrescenta, citando que, além dos R$ 6 milhões repassados pela União, o estado gastou R$ 15 milhões por mês, nos últimos dois meses, em diárias de leitos de enfermaria e UTI. “Eu não abri todos os mil leitos que a cidade dispõe porque um leito custa R$ 1.600,00 por dia, então não teria sentido nós gastarmos para dizer que estamos bem e para a turma resolver fazer festa, é um momento das pessoas prestarem atenção”, declarou o prefeito de Curitiba Rafael Greca (DEM), argumentando que os leitos vão sendo ativados conforme a necessidade, por questão de austeridade fiscal. A capital tem um plano de contingenciamento de até mil leitos de UTI (recorrendo, neste caso a hospital de campanha), mas tem, hoje, 223 leitos ativados. Há outros 15 leitos já contratualizados com o Hospital de Clínicas e novos 50 leitos a serem oferecidos pelo Instituto de Medicina. O Paraná conta, hoje, com 757 leitos de UTI adulto, 1.181 leitos de enfermaria adulto, 37 leitos de UTI infantil e 70 leitos de enfermaria infantil reservados para pacientes de Covid-19.


Fonte: Gazeta do Povo