Supostamente mais de R$ 462 mil foram depositados em contas de servidores municipais do Sudoeste - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Supostamente mais de R$ 462 mil foram depositados em contas de servidores municipais do Sudoeste

Por: Elite FM
Publicado em 02/06/2020
img
Pato Branco aparece com o maior número, no Sudoeste, de servidores ”supostamente” beneficiados,199 com recebimento ilegal de R$ 147 mil.Foto: Divulgação Prefeitura Municipal

Na tarde da sexta-feira (29), uma lista com os nomes dos supostos servidores públicos de municípios do Paraná que haviam recebido ilegalmente o auxílio emergencial do governo federal, circulava na internet. Através de um cruzamento de dados, duas entidades identificaram 10.648 servidores, de 388 prefeituras do Paraná, que teriam, supostamente, recebido o auxílio. De acordo com TCE, no Sudoeste, dos 42 municípios, apenas três não continham nenhum funcionário como beneficiário do auxílio — são eles: Saudade do Iguaçu, Verê e Vitorino. Na lista que circulou pela internet, os servidores municipais juntos teriam recebido R$ 462.600 vindos do benefício federal. Entre os municípios do Sudoeste, Pato Branco aparece com o maior número de servidores que teriam sido beneficiados, com 199 [destes, 153, supostamente, solicitaram o auxílio de R$ 600 e 46 o de R$ 1.200]. Ao todo, os servidores do Município contabilizam o recebimento de R$ 147 mil. Francisco Beltrão foi o segundo Município da região com mais servidores na lista, contabilizando R$ 69.600 vindos do benefício. Em terceiro ficou Chopinzinho com o recebimento de R$ 57 mil. Através de uma nota, a Amsop afirmou não haver indícios de envolvimento das prefeituras da região na liberação indevida do auxílio emergencial a servidores públicos. A recomendação da Amsop é de que os gestores abram sindicâncias para investigar se houve infrações disciplinares dos servidores ao omitirem informações, se o auxílio foi depositado automaticamente ou se os dados dos funcionários foram usados por terceiros sem seu consentimento. A Amsop esclarece ainda que o pagamento do auxílio emergencial é um programa federal e que as prefeituras não possuem acesso ou controle ao sistema de liberação e nem são incumbidas de fiscalizar as informações prestadas pelas pessoas que solicitam o benefício. O Município de Pato Branco afirma que será instaurada sindicância para averiguar os fatos. Ressalta que o Município não foi consultado pelo TCE para saber se os nomes que constam na lista,são servidores do Município. O Diário do Sudoeste teve acesso a lista que, supostamente, contém o nome dos servidores beneficiados.


Fonte: Diário do Sudoeste