Três semanas sem mortes por Covid-19: como Florianópolis chegou lá - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Três semanas sem mortes por Covid-19: como Florianópolis chegou lá

Por: Elite FM
Publicado em 30/05/2020
img
Av. Paulo Fontes, Largo da Alfândega e Mercado Público de Florianópolis fechados durante a pandemia de Covid-19| Foto: Cristiano Andujar/Prefeitura de Florianópolis/Gazeta

Em meio a milhares de mortes Brasil afora causadas pela Covid-19, Florianópolis tem se destacado como exemplo positivo no controle de casos. Favorecida geograficamente, com acesso principal por uma ponte que a liga ao continente, a capital catarinense foi uma das primeiras a criar restrições para conter o avanço do coronavírus. Junto com investimentos, tanto em ações básicas como outras inovadoras, as medidas deram resultado: por mais de três semanas, desde 4 de maio, o número de mortes permanece estável em um total de 7. Florianópolis, que tem população estimada de 500 mil pessoas, segundo o IBGE, tem até a tarde de quinta-feira (28) um acumulado de 691 casos confirmados, dos quais 12 internados, 92 com o vírus ativo e sob acompanhamento, 7 mortos e 592 recuperados. Havia ainda outros 1.540 casos em análise. Esse número elevado revela uma estratégia que o Brasil não conseguiu executar: testagem em massa. “Desde o começo adotamos testes em massa. Enquanto na maioria dos locais só se testavam pessoas em situação grave, sempre testamos os contaminados, suspeitos e contatos. Isso nos permitiu ter todos os casos diagnosticados e determinar o isolamento”, afirmou o secretário municipal de Saúde de Florianópolis, Carlos Alberto Justo da Silva." "Segundo ele, inicialmente eram feitos testes moleculares (PCR-RT) pelo Laboratório Central (Lacen) de Santa Catarina. Em abril, foram adquiridos 30 mil testes. “Seguimos o modelo da Coreia. Fizemos teste PCR para todo suspeito caso estivesse entre um a sete dias do início dos sintomas; se os sintomas tivessem aparecido antes, fazíamos o teste rápido, e com todos os contatos que o caso suspeito teve”, acrescentou.Com essa estratégia, Florianópolis tem até 28 de maio um total de 5.463 casos notificados, dos quais 3.232 mil descartados. Foram feitos testes no aeroporto e rodoviária. Nos supermercados, foi exigida a aferição de temperatura dos clientes a partir de 27 de abril. "Outro fator do sucesso foi o isolamento precoce, diz Justo da Silva. Os primeiros casos confirmados em Florianópolis foram divulgados em 12 de março. No dia seguinte, a prefeitura já baixou determinações contra aglomerações, proibindo o uso de ar condicionado em escolas e no transporte coletivo, e determinando disponibilização de álcool em gel em estabelecimentos, ventilação adequada e distanciamento de 1,5 m entre as mesas de restaurante. A suspensão das aulas ocorreu em 19 de março, mas com faltas abonadas desde o dia 17. No dia 18, o governo de Santa Catarina determinou o fechamento de todo o comércio do estado. 

 


Fonte: Gazeta do Povo