Calafrio e mais seis sintomas que são sinais de alerta para Covid-19 - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Calafrio e mais seis sintomas que são sinais de alerta para Covid-19

Por: Elite FM
Publicado em 11/05/2020
img
Novos sintomas são associados à Covid-19, como calafrios e perda do olfato e paladar-Foto: Bigstock/Gazeta do Povo

Com o passar do tempo e com a disseminação do novo coronavírus por todo o mundo, os sinais que indicam a Covid-19 foram se ampliando. No início de abril, os três sintomas associados à doença eram febre, tosse seca e a falta de ar. Somam-se, agora, a perda do olfato e paladar, calafrios, tremores associados aos calafrios, dores musculares, de cabeça e de garganta. Esses sinais de alerta foram adicionados recentemente pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos, o CDC, em publicação no site da instituição. Ainda assim, os mesmos vinham sendo divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como sintomas que deveriam chamar atenção dos médicos. Estudos de vários países mostraram que parte das pessoas com o diagnóstico para a Covid-19 apresentava a perda do olfato e/ou do paladar, até mesmo sem ter outros sintomas associados. E outras pesquisas viram que a febre tende a ser o sinal mais frequente, atingido quase a unanimidade dos pacientes. A OMS alerta ainda para pacientes que, diagnosticados com a doença, também tiveram congestão nasal e diarreia. Os sintomas listados tanto pelo CDC norte-americano quanto pela OMS podem aparecer entre dois a 14 dias depois do contato da pessoa com o vírus. Embora uma parte das pessoas, especialmente aquelas nos grupos de risco, possam desenvolver quadros graves da Covid-19, para 80% da população que entrar em contato com o novo coronavírus, a doença tende a apresentar sintomas leves e, em alguns casos, até mesmo sem sintoma nenhum (assintomático). Dados da OMS indicam que um a cada cinco desenvolverá a Covid-19 de forma mais grave, apresentando dificuldades para respirar. "Pessoas de qualquer idade que tiver febre, tosse e dificuldade para respirar deve buscar ajuda médica", orienta a entidade." 


Fonte: Gazeta do Povo