Jacinda Ardern, a primeira-ministra que está vencendo a batalha do coronavírus - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Jacinda Ardern, a primeira-ministra que está vencendo a batalha do coronavírus

Por: Elite FM
Publicado em 01/05/2020
img
Jacinda Ardern, a primeira-ministra da Nova Zelândia- Foto: Divulgação/Flickr/Gazeta do Povo

A Nova Zelândia declarou estar praticamente livre da transmissão comunitária do novo coronavírus. O país da Oceania registrou apenas dois casos de covid-19 nesta semana e nenhuma morte. Desde que a pandemia começou, foram confirmadas 1.124 pessoas infectadas pelo Sars-Cov-2, com um total de 19 mortes. O êxito obtido até agora na batalha contra o vírus é atribuído às decisões da primeira-ministra Jacinda Ardern e sua equipe, além das condições geográficas do país.A Nova Zelândia confirmou seu primeiro caso de coronavírus em 28 de fevereiro. Em 14 de março, quando o país tinha apenas seis casos, Ardern enfrentou adversários e deu início a medidas de isolamento. Anunciou que qualquer pessoa que entrasse no país precisaria se auto-isolar por duas semanas, o que estava na época entre as mais difíceis restrições de fronteira do mundo. Seis dias depois foi mais rigorosa ainda: proibiu a entrada de estrangeiros.Mas Ardern não parou aí. Em 23 de março – quando havia 102 casos confirmados e nenhuma morte – ela anunciou que o país estava entrando no "nível 3" do bloqueio. Negócios não essenciais foram fechados, escolas fechadas para todas as crianças, exceto as dos trabalhadores essenciais, e eventos e reuniões cancelados. O transporte público foi reservado somente aos trabalhadores essenciais e as viagens aéreas domésticas entre as regiões foram proibidas. Paralelamente ao isolamento, as autoridades de saúde montaram uma ampla operação de testes e rastreamento de contatos de pessoas infectadas. Um mês depois da batalha para impedir a disseminação do vírus, os neozelandeses começam a ter de volta as liberdades cotidianas. Desde esta terça-feira (28) as empresas reabriram com algumas medidas preventivas, incluindo a necessidade de distanciamento físico de dois metros. As escolas devem reabrir com capacidade limitada e as pessoas poderão participar de atividades recreativas de baixo risco, incluindo nadar na praia. Nós vencemos essa batalha. Mas devemos permanecer vigilantes se quisermos continuar assim”, disse com cautela Ardern.


Fonte: Gazeta do Povo