O maior erro dos governos do Brasil é não ter investido em infraestruturas - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

O maior erro dos governos do Brasil é não ter investido em infraestruturas

Por: Elite FM
Publicado em 13/04/2020
img
Laudi Vedana – Professor, Diretor e Jornalista da Rádio Elite Fm/Foto Rádio Elite Fm

O maldito populismo, eivado de interesses partidários e particulares sempre teve adesão à corrupção, que nos últimos anos escancarou os limites absurdos da roubalheira geral e irrestrita a ponto de ainda não ser revelado o total rapinado do erário público. Segundo a Lava Jato seriam de R$ 7 a 9 trilhões, sem contar os prejuízos decorrentes. Os governos não cumpriram a principal função,  que é a implantação de infraestruturas em todas as áreas, a partir da educação, pois mais do que nunca:”Sem educação ninguém se salva”.Todo dinheiro público deve ser aplicado para o bem de todos, e não somente para alguns, mas o populismo governista  com o viés da popularidade resolveu distribuir dinheiro vivo, o que gerou até um comodismo de  boa parte da população, que passou a pensar que o governo seria o provedor da casa, o que é um tiro no pé. Se os governos tivessem  como prioridade as infraestruturas, todos os brasileiros teriam encontrado seu caminho para ter seu emprego e renda, pois educação, saneamento básico, saúde, rodovias e ferrovias, portos, enfim infraestruras que, pela educação   dariam condições a todos encontrar seu caminho, como acontece nos países de educação de primeiro mundo. Esta pandemia, no Brasil, revela como os governos erraram feio, no passado, pois esta crise revela grande parte de uma sociedade desassistida, muitos até sem água tratada e sem saneamento básico, que agora recebem ordem de isolamento como se já não estivesse isolada daquilo que deveria ter recebido sempre, vivendo em favelas  que foram se  formando, sem o Estado intervir para o mínimo de segurança. A lição do coronavírus deixa nus os governos procurando dinheiro nos bolsos.E para completar basta dizer que no Brasil nunca houve um projeto de Estado para a educação. Todos os governos  nos discursos, sempre “Educação será prioridade”, mas na  prática vigorou:” Quanto mais ignorante o povo, melhor para a demagogia eleitoreira,a política do cabresto. A realidade, porém, veio para detonar a velha  e desastrosa política a ponto de termos como resultado de  sucessivas pesquisas que apontam partidos e políticos como as duas classes mais desacreditadas do país. Realmente precisamos mudar, por amor ou pela dor, mas com vínculo na educação que mostre ser o voto responsável, o princípio da mudança.


Fonte: Laudi Vedana – Professor, Diretor e Jornalista da Rádio Elite Fm