Bolsonaro diz que há “guerra ideológica” sobre uso da hidroxicloroquina - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Bolsonaro diz que há “guerra ideológica” sobre uso da hidroxicloroquina

Por: Elite FM
Publicado em 10/04/2020
img
O presidente da República, Jair Bolsonaro.| Foto: Isac Nobrega/Presidência da República/Gazeta do Povo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que existe uma "guerra ideológica" em torno da discussão sobre o uso da hidroxicloroquina para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus. "Isso é uma guerra ideológica em cima disso, guerra de poder. Se o pessoal me ajudasse um pouquinho, não me atrapalhasse - não  me refiro a A, B ou C -, o Brasil ia embora", declarou . O presidente também voltou a mencionar o médico cardiologista Roberto Kalil Filho, que admitiu ter usado o medicamento em seu tratamento contra a Covid-19. "Tem médico que usa. Tá usando tem quase dois meses. A gente sabe que não está ainda comprovado cientificamente, mas...", disse, sem completar a frase. "O médico Luiz Vicente Rizzo, diretor superintendente de pesquisa do Hospital Israelita Albert Einstein, disse, que hospitais têm sofrido pressão para usar hidroxicloroquina em pacientes com o novo coronavírus. “Estamos na época da medicina BBB, feita por votação. Medicina e pesquisa de rede social. Você não consegue mais não dar cloroquina para um paciente meio grave. A família pressiona e, se você não der, no dia seguinte você não é mais o médico”, disse. O diretor nega que exista protocolo no hospital para a utilização do medicamento no início da doença. O Einstein recebeu o primeiro paciente com coronavírus no Brasil e coordena o braço de pesquisa com pacientes graves, com oito hospitais. "O infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, voltou a rebater as críticas sobre sua decisão de não revelar se fez ou não o uso de cloroquina em seu tratamento contra o novo coronavírus. Esse sigilo que eu me impus e impus que as pessoas respeitassem é para proteção da sociedade. (...) Sigilo não foi falta de transparência, foi preservação da sociedade”, disse em uma apresentação virtual sobre a doença que o infectologista fez a empresários. Uip foi questionado pelo presidente Jair Bolsonaro sobre a utilização do medicamento e David Uip repetiu: “Sigilo que me impus é para proteção da sociedade sobre uso de cloroquina".


Fonte: Gazeta do Povo