Legado da quarentena: o resgate do valor da família - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Legado da quarentena: o resgate do valor da família

Por: Elite FM
Publicado em 28/03/2020
img
Romulo Camargo comemora 90 anos em casa com filha e netos - Imagem/ Gazeta do Povo/Coluna:(Cristina Graeml

 A experiência inédita de uma quarentena sendo vivida por quase toda a humanidade ao mesmo tempo é motivo forte o suficiente para pensar diferente por causa  das muitas percepções que o isolamento social  trouxe. O foco  vai para um único aspecto, apenas um entre tantos outros que mereceriam análise. É algo que andava meio esquecido, pouco comentado em textos, vídeos e até nas nossas conversas do dia a dia e que estamos agora reencontrando dentro de nossas casas em função do isolamento social. E se reacende valor da família. A estratégia de ficarmos todos em casa como forma de atrasar o contágio, que é inevitável, e assim não sobrecarregar os hospitais, pode não ter ficado clara ainda como a melhor das medidas, mas fez efeito imediato na saúde das relações humanas no núcleo mais íntimo. Com exceção daquelas famílias já desestruturadas pela violência doméstica e pelo desrespeito, algo que, infelizmente, acentua-se em situações de confinamento; os casais, pais e filhos, e os irmãos estão diante de uma chance única de redescobrir o prazer de estar juntos e a sós. Revela Cristina Graeml:” O que me inspirou  foi a foto que um ex- colega do curso de Jornalismo da UFPR, que hoje mora no Rio de Janeiro, postou no grupo de WhatsApp da turma. O registro mostra ele, a esposa e o casal de filhos em volta de uma mesa com um bolo. Era o aniversário da filha. No bolo, junto das velinhas, eles espetaram palitos colados a fotos de parentes e amigos que não podiam estar presentes. O casal teve o capricho de colocar na mesa alguns enfeites de festa e um arranjo de flores. Tudo simples e repleto de carinho. Junto com a foto esse amigo enviou uma mensagem."Os 11 anos da minha filha foram comemorados com um festão para 4 pessoas presenciais e pro resto da família através de um Live no Facebook. Sobrou bolo, mas ela ficou muito feliz com tudo. Vida que segue.Tenho, aliás, resgatado o hábito de telefonar para as pessoas em vez de apenas mandar mensagem, algo que recomendo para aplacar a sensação de isolamento. E é outro efeito positivo na saúde das relações humanas. Quando a pandemia se for – porque, mais cedo ou mais tarde, ela vai passar –, que cidade, que país teremos? Que seja um mundo diferente, em que valorizemos muito mais cada momento da liberdade de estar com as pessoas queridas: aquelas com as quais dividimos o próprio teto, a rua, os interesses e afinidades. E que possamos lembrar destes dias como um tempo em que um fortíssimo sentimento de união nos ajudou a suportar o isolamento físico.Na verdade o porto seguro de todos é a família. E lá que erros e acertos ganham forma de  emoções que  diariamente se renovam produzindo a felicidade sustentável.


Fonte: (Cristina Graeml - Gazeta do Povo