Qual é a diferença entre a pandemia do novo coronavírus e a do vírus H1N1? - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Qual é a diferença entre a pandemia do novo coronavírus e a do vírus H1N1?

Por: Elite FM
Publicado em 24/03/2020

O vírus de gripe comum mata 0,13% das pessoas que contamina. No auge do contágio, em 2009, o H1N1 (gripe suína) tirou a vida de 0,2% das pessoas infectadas. Entre 2002 e 2004, a SARS (sigla em inglês para Síndrome respiratória aguda grave) se mostrou fatal em 9,63% dos casos. O vírus da MERS (sigla em inglês para Síndrome respiratória coronavírus do Oriente Médio), que começou a agir em 2012 e chegou ao pico entre 2017 e 2018, alcançou a taxa de 34,45.O vírus de gripe comum mata 0,13% das pessoas que contamina.No auge do contágio, em 2009, o H1N1 (gripe suína) tirou a vida de 0,2% das pessoas infectadas. Entre 2002 e 2004, a SARS (sigla em inglês para Síndrome respiratória aguda grave) se mostrou fatal em 9,63% dos casos. O vírus da MERS ( sigla em inglês para Síndrome respiratória coronavírus do Oriente Médio), que começou a agir em 2012 e chegou ao pico entre 2017 e 2018, alcançou a taxa de 34,45%. Apesar da altíssima taxa de mortalidade, tanto a SARS quanto a MERS não representam ameaça atualmente. A SARS foi contida de forma rápida, e a MERS é raríssima. O novo coronavírus, ou Sars-Cov-2, vem matando 3,74% do total de doentes, ao menos nesse estágio da doença. É comum que, no início, o percentual de letalidade pareça maior, porque apenas os casos mais graves são identificados (neste momento, na Itália, por exemplo, a taxa está em 7,7%). Na medida em que o grau de conhecimento da epidemia se torna conhecido, e casos menos graves passam a ser identificados com maior eficiência, o percentual de mortos se mostra menor. A resposta está na rapidez do contágio: o novo vírus é até 66,7% mais eficaz para atingir novas pessoas do que a gripe suína. Cada paciente com a Covid-19 a transmite para outras 2,5 pessoas, em média, contra 1,5 pessoa da gripe suína. As medidas de quarentena tentam reduzir a transmissão comunitária. Do ponto de vista dos humanos, o novo coronavírus não é o mais letal, ainda que seja especialmente eficaz em se disseminar. O fato é que o Covid-19 tende a alcançar uma mortalidade alta, em todos os continentes, antes de ser controlado.


Fonte: Gazeta do Povo