Gestantes e o novo coronavírus: 9 coisas que toda grávida deve saber - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Gestantes e o novo coronavírus: 9 coisas que toda grávida deve saber

Por: Elite FM
Publicado em 17/03/2020
img
Foto: Bigstock/Gazeta do Poo

Mudanças imunológicas na gravidez facilitam complicações no quadro da doença.Por isso, com o número de casos do novo coronavírus aumentando rapidamente no Brasil, muitas dúvidas têm surgido a respeito dos riscos que as grávidas correm neste momento, se podem transmitir a doença ao bebê e até se devem cancelar viagens programadas para os próximos dias ou semanas. Para ajudar nessas questões, o médico ginecologista e obstetra Marcos Takimura –  professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR)  diz que em caso de pandemia, o importante é focar na prevenção. O risco de infecção é o mesmo para qualquer ser humano, pois a maneira de ser infectado não depende necessariamente da questão imunológica ou da resistência orgânica do indivíduo, mas da presença do vírus em secreções que ele possa ter contato. Então, a mulher grávida corre o mesmo risco de contrair a doença que todos os demais. Como o organismo da gestante reage diante do Covid-19? A diferença da gestante está justamente na resposta do organismo ao vírus, pois as modificações imunológicas pelas quais a mulher passa durante a gravidez podem facilitar complicações no quadro de diversas doenças. Então, mesmo que ainda não existam dados sobre a reação das gestantes diante do novo coronavírus, já observamos essas complicações na epidemia do H1N1, em 2009, e a recomendação é, sem dúvida, a prevenção.  Que precauções mulheres grávidas devem tomar? Em uma situação de pandemia, a primeira precaução é intensificar a higiene pessoal, lavando muito bem as mãos. Nos casos em que não é possível fazer isso com frequência, a orientação é aplicar álcool na forma líquida ou gel com o mínimo de 60% de concentração, também friccionando as mãos. Se a gestante sentir os sintomas do novo coronavírus, como deve proceder? A recomendação é procurar o serviço médico que utiliza frequentemente – seja uma unidade básica de saúde, alguma clínica ou sua maternidade de preferência. É possível procurar diretamente um desses hospitais?A recomendação é não procurá-los, pois são direcionados somente para casos graves. Então, se a gestante perceber sintomas como febre, tosse seca e falta de ar quando sua unidade de saúde não estiver aberta, ela deve procurar a maternidade sugerida em sua caderneta de pré-natal como referência de urgência e emergência.


Fonte: Gazeta do Povo