Como essa ponte que ficou fechada durante 28 anos explica o Brasil - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Como essa ponte que ficou fechada durante 28 anos explica o Brasil

Por: Elite FM
Publicado em 07/02/2020
img
Tombada pelo Patrimônio Histórico, em quase 30 anos a ponte Hercílio Luz consumiu quase R$700 milhões. Para quê? Para hoje servir de cenário para selfies.-Foto: Wikimedia /Gazeta do Povo

Depois de 28 anos e meio de interdição (sim, 28 anos e meio de interdição!), a Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, foi reaberta ao final de 2019. O caso é cercado de exemplos de ineficiência do poder público, de suspeitas de corrupção e da falta de prestação de um serviço para a população.Mas os problemas da Hercílio Luz revelam muito sobre como as coisas funcionam no Brasil. A Ponte Hercílio Luz foi a primeira ligação entre a capital, Florianópolis, e o restante do estado de Santa Catarina, com uma extensão total de 821 metros. Inaugurada em 1926, ela foi interditada em 1982 por causa da deterioração das barras de olhal, ao que tudo indica por falta de manutenção. Em março de 1988, a ponte foi reaberta parcialmente. Foi autorizada a passagem apenas de pedestres, bicicletas, motocicletas e carroças. Mas ela foi interditada de forma definitiva em julho de 1991, sem que houvesse qualquer plano de reabertura. Só em 2005 o governo de Santa Catarina apresentou um plano de restauração. Teve início, então, uma novela que levou quase uma década e meia para acabar. Em fevereiro de 2019, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a situação da ponte Hercílio Luz. O relatório final apontou que, desde a década de 1980, a ponte tinha consumido R$ 688 milhões. Os planos de manutenção e reforma da ponte envolveram ao menos 30 contratos e aditivos, o que contribuiu para encarecer o projeto.Segundo o procurador do Ministério Público de Contas de Santa Catarina Diogo Ringenberg, os recursos poderiam ter sido utilizados para construir até quatro pontes “em um padrão construtivo extremamente superior, mais moderno, com pelo menos o dobro da capacidade de tráfego”. “A obra da ponte Hercílio Luz talvez seja um dos melhores exemplos do que não deve ser feito em uma obra pública”, afirma. O primeiro relatório apresentado na CPI sugeriu o indiciamento de 26 pessoas, incluindo três ex-presidentes do Departamento Estadual de Infraestrutura de Santa Catarina (Deinfra) e o ex-governador Raimundo Colombo, que administrou o estado entre 2010 e 2018. A CPI pedia ainda a devolução de R$ 45 milhões por parte dos indiciados. O Ministério Público de Santa Catarina poderá utilizar o relatório como base para novas diligências ou apresentar denúncia. Enfim está aí mais uma novela que envolve corrupção e a Justiça leva décadas para decidir diante da morosidade sistemática e sabe-se que Justiça que tarda ,falha.Há quem defenda a reforma,já que a ponte tem a “cara de Floripa”,o que se condena é o manto de corrupção que envolve esta reforma e que,possivelmente nunca será esclarecida.


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm