Os governos do Brasil ainda não entenderam a norma básica de conduta da natureza: que é “ Não perdoar nunca” A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de emergência global de saúde por causa do coronavírus. Alexandre Garcia fez uma comparaçã - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Os governos do Brasil ainda não entenderam a norma básica de conduta da natureza: que é “ Não perdoar nunca” A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de emergência global de saúde por causa do coronavírus. Alexandre Garcia fez uma comparaçã

Por: Elite FM
Publicado em 02/02/2020
img

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de emergência global de saúde por causa do coronavírus. Alexandre Garcia fez uma comparação, relativa à população, dos números de mortes no Brasil pelas calamidades provocadas pelas chuvas e as mortes pelo coronavírus na China. Foram 170 mortes na China pelo vírus e cerca de 70 mortes aqui no Brasil por causa dos temporais. Comparando em função da população, 70 mortes para 210 milhões de brasileiros e 170 mortes para 1,4 bilhão de chineses... Aqui nós temos uma calamidade três vezes superior em números relativos de mortos. Esses números mostram a seriedade com que tem que ser tratado esse problema de todos os janeiros dos últimos 50 anos, no mínimo. É uma questão de preparar as cidades para receber a chuva, porque ela virá de qualquer maneira. Entulhar bueiro, vias de escoamento de água, riachos, impermeabilizar o chão e permitir que haja construções em encostas de morros são medidas que deveriam acabar. Senão acabarem, as enchentes vão continuar. O presidente Bolsonaro foi aos estados afetados pelas chuvas, está criando um crédito de quase R$ 900 milhões para o Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Mas esse dinheiro é para obra emergencial. É preciso ter medidas objetivas e definitivas de fiscalização e controle das encostas e do solo.As enchentes nas cidades  são  uma demonstração  clara de que a “natureza não perdoa nunca”.Esta sábia natureza    fez  o desenho natural da drenagem das águas com os diversos riachos que cortam as áreas onde  haveria futuramente cidades.Os gestores públicos imaginando o progresso das cidades foram  sufocando os desaguadouros.E todo esse progresso virou pesadelo com as águas violentas que não pedem passagem por terem o direito do seu espaço natural.Bertold Brecht  escreveu:” Do rio que tudo arrasta se diz que é violento…mas diz violentas as margens que o comprimem”.


Fonte: Alexandre Garcia e Elite FM