Conta-petróleo e menos impostos. Como Bolsonaro pode segurar o preço dos combustíveis - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Conta-petróleo e menos impostos. Como Bolsonaro pode segurar o preço dos combustíveis

Por: Elite FM
Publicado em 13/01/2020
img
Foto:Marcos Corrêa/Gazeta do Povo

A crise no Oriente Médio implicou na variação do preço do petróleo. O preço do barril disparou após o ataque do Irã a bases militares dos Estados Unidos localizadas no Iraque, mas os contratos futuros recuaram na quarta-feira (8) após declarações dos dois países buscando amenizar as tensões. Apesar dessa oscilação, a tendência é de alta no preço do petróleo, o que certamente vai chegar ao preço cobrado nas bombas dos postos de combustíveis, ainda que o governo brasileiro sinalize tentativas de atuar para conter a alta. A realidade é que há pouco a ser feito, e que um eventual subsídio a esse preço implica obrigatoriamente em remanejar o apertado orçamento público. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, sinalizou a possibilidade de criação de um fundo, que funcionaria como mecanismo de compensação para evitar recorrentes altas no mercado interno por causa da oscilação do preço do petróleo. O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, sugeriu que os governadores reduzissem as alíquotas de ICMS que incidem sobre o preço do combustível, alegando que não dá para o governo federal “pagar o pato” sozinho. Os governadores já rechaçaram a proposta, com a exceção do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), que afirmou que irá congelar a base de cálculo do ICMS sobre combustíveis. Todavia, se os governadores pensassem um pouco no povo, já explorado, poderiam reduzir o ICMS estadual. Da mesma forma, o governo federal não abre mão da Cide-combustíveis (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), tampouco menciona a redução de PIS/Cofins. Com União e estados passando por aperto fiscal,(com desperdícios e gastos inúteis) abrir mão da arrecadação obtida com esses tributos sem haver uma contrapartida é impensável e “o consumidor que se lasque”. E para sua reflexão saiba que, tudo o que você ganhar de  janeiro até o final de maio, é só para pagar impostos e quem paga ensino e saúde particular, terá que trabalhar até o final de junho.


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm