O Brasil quer políticos mais competentes? Eduardo Mufarej, fundador do Renova BR defende prioridade para a educação cidadã - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

O Brasil quer políticos mais competentes? Eduardo Mufarej, fundador do Renova BR defende prioridade para a educação cidadã

Por: Elite FM
Publicado em 06/01/2020
img
Imagem:Eduardo Mufarej fundador do Renova BR/Gazeta do Povo

É óbvio que um curso de formação em políticas e cidadania que se propõe ser suprapartidário vai ter gente com todo tipo de ideologia. A cara da classe política vai ser a cara da sociedade. Vai ter gente de centro-esquerda, de centro, de direita, de esquerda, mais conservador, evangélico, liberal, progressista. Vai ter tudo", diz Eduardo Mufarej, fundador do Renova BR."A gente elegeu muitas vezes médicos, apresentadores de TV, esportista, entre outras qualificações, sem saber se aquela pessoa estava preparada para ser um representante. Ser um representante não quer dizer ser bem votado. É diferente." – diz Eduardo Mufarej". "O fundador do Renova BR defende que estamos subestimando uma discussão importantíssima que não tem ideologia: a necessidade de ter uma classe política que seja competente. Ao líder político não basta ser capaz de mobilizar o debate e conseguir votos, ele tem de construir um repertório para cumprir seu papel. Eduardo Mufarej diz que viu a necessidade de criar uma instituição disposta a investir na formação de cidadãos comuns com o compromisso de servir o Brasil, qualquer que seja a ideologia. Outro incômodo é com a mania que temos de pensar que no Brasil nada é bom, nada funciona. Por isso, o melhor marketing político é o de reinventar a roda 24 horas por dia. Já sabemos o resultado. Eduardo Mufarej defende que precisamos valorizar as boas ideias e experiências e transformá-las em modelos escaláveis ou que possam ser adaptados em diversos lugares do Brasil. Se não for feito, crê que será difícil conseguir resultados diferentes. "Enquanto o brasileiro continuar escolhendo o seu representante a deputado federal um dia antes da eleição e, depois de uma semana, ele esquecer em quem votou, não tem direito de achar que está ruim. Não tem direito. É uma escolha tão importante e você não gastou cinco minutos? "Ele defende que a tomada de consciência sobre a nossa própria responsabilidade é um passo importante para dar o valor necessário à educação para a cidadania. "Brasília não virou o que virou por uma força extraterrestre, mas por uma omissão, falta de interesse", aponta ao defender a necessidade de mudar a forma de escolha. O primeiro passo é entender o papel de cada um dos atores políticos e acompanhar o trabalho deles de forma mais inteligente, avaliando não apenas o afeto e a popularidade, mas se estão cumprindo seu papel, diz Mufarej.


Fonte: Gazeta do Povo