Lei dos Fogos de Artifício: autoritarismo do bem na era da hipersensibilidade - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Lei dos Fogos de Artifício: autoritarismo do bem na era da hipersensibilidade

Por: Elite FM
Publicado em 03/01/2020
img
Fogos de estampido prejudicam animais e pessoas ,mas há controvérsias- Mudança cultural a caminho - Foto: Imagem de nickgesell por Pixabay/Gazeta do Povo

 O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, sancionou uma lei que proíbe o uso de fogos de artifício que façam barulho na cidade. Iniciativas semelhantes existem em São Paulo e no Rio Grande do Sul. A boa intenção por trás da medida é clara: proteger os animais de estimação e grupos supostamente vulneráveis ao ruído intenso, como crianças autistas e idosos. E a Lei dos Fogos de Artifício é um ataque à liberdade em nome da sensibilidade exacerbada do nosso tempo. Apesar de cercada de boas intenções, trata-se de uma medida de força por parte do Legislativo. Uma canetada que gera distorções de longo prazo na sociedade. Não que os fogos de artifício não devam desaparecer. Afinal, já foi o tempo em que a Humanidade se encantava com a mágica da pólvora e com a incrível capacidade humana de usá-la para fins, digamos, artísticos, e não só para a guerra. Mas será que o meio mais correto para se alcançar esse objetivo é a proibição sumária dos fogos de artifícios que fazem barulho ? Ou será que uma mudança cultural como aquela pela qual passou o cigarro seria melhor e mais eficiente, ainda que mais demorada? Na verdade trata-se de uma cultura que pode ser denominada “do barulho, como forma de expressar emoções, que existe  desde a descoberta da pólvora, mas que se estendeu a outros setores, como o ronco das motos e carros que nada acrescenta de positivo a quem for obrigado a ouvir. O estrondo de um foguete por mais festivo que possa parecer agride a qualquer ouvido e neste caso também se pode aplicar a tese de que a liberdade de uma pessoa termina onde começa a liberdade de outra. Quanto às indústrias que produzem fogos de artifício  continuarão produzindo seu material e melhorando os produtos que não produzem estrondo. Quantas indústrias tiveram que se reinventar ,com o surgimento de novos produtos quem não fez, se quebrou como a Kodak que produzia filmes para máquina fotográfica, fábricas de máquinas de escrever e tantas outras. Em  Pato Branco, a lei proibindo fogos de estampido foi aprovada pela Câmara, mas uma liminar alegando insconstitucionalidade impediu a sanção pelo prefeito.Todavia a Constituição é a mesma para todas as cidades e Curitiba a lei foi sancionada pelo prefeito. Resta-nos aguardar, já que esta  proibição causa certa polêmica.


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm