Alimentos podem viciar? Veja oito deles e como eles fazem querer mais - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Alimentos podem viciar? Veja oito deles e como eles fazem querer mais

Por: Elite FM
Publicado em 10/12/2019
img
Byanca Kuminski tomava até dois litros de refrigerante por dia. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

 Liberação de dopamina, responsável pela sensação de bem-estar, é uma das explicações para compulsão por determinados produtos. "No livro-reportagem “Sal, Açúcar, Gordura” (Intrínseca), investigação do jornalista norte-americano Michael Moss sobre a indústria alimentícia, há algo em comum entre os executivos das grandes empresas de produtos ultraprocessados: nenhum deles come o que é produzido e vendido pela companhia.Ao longo dos últimos anos, mais informações sobre rotulagem e saúde deram o alerta para entender que esses tipos de alimentos, com sal, açúcar e gordura em excesso, podem deixar o nosso paladar alterado, além de nos encorajar a buscá-los mais e mais. São aqueles casos de pessoas que se dizem “chocólatras” ou “viciadas”em refrigerante.Segundo a nutricionista da Paraná Clínicas, Fernanda Gularte, produtos ultraprocessados com excesso de sal, açúcar e gordura, como refrigerantes, salgadinhos de pacote e chocolates cujo principal ingrediente é o açúcar, podem, sim, ser potenciais viciantes.“Os alimentos muito doces liberam dopamina, neurotransmissor responsável pelo bem-estar. Ele ativa o sistema límbico, ligado à recompensa, para compensar emoções. Outra questão é que os alimentos ricos em farinha branca e açúcar fazem um pico de glicose em nossa corrente sanguínea. E aí o organismo tem uma elevação de insulina e, logo na sequência, a queda da glicose. Por isso, uma pessoa que lancha um salgado com farinha branca vai passar uma horinha e ela já quer um doce. Faz essa hipoglicemia reativa” explica a profissional, que é especialista em emagrecimento e pós-bariátrica.Já o nutricionista do Vigilantes do Peso, Matheus Motta, acredita que é mais prudente tratar esse tipo de comportamento do ponto de vista psicológico. Uma dieta mais nutritiva, com proteínas, fibras e gorduras boas é a chave, de acordo com Fernanda, para quem é viciado em alimentos doces e salgados demais. “Isso gera mais saciedade e aquela necessidade de comer um doce diminui”. Para mudar, você precisa entender todo o ciclo, que tem o gatilho, comportamento e recompensa. Então, a pessoa precisa encontrar um novo hábito que traga essa sensação de bem-estar. Como, por exemplo, trocar o chocolate por uma fruta com mel e canela. Você terá a serotonina e não vai consumir tanta gordura e açúcar refinado”.


Fonte: Gazeta do Povo