Por que o gasto com funcionalismo pode cair até 2030? - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Por que o gasto com funcionalismo pode cair até 2030?

Por: Elite FM
Publicado em 24/11/2019
img
Gasto com funcionalismo pode chegar a 2,3% do PIB em 2030| Foto: Pillar Pedreira/Agência Senado

Depois da Previdência, é a despesa com a folha de pagamento do funcionalismo que pesa mais nos gastos da União. Mas, ela pode diminuir bastante até 2030, de acordo com a Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão ligado ao Senado. A projeção da IFI aponta que as despesas com servidores podem passar dos atuais 4,4% em relação ao PIB, como registrado em 2019, para 2,3% em 2030. Essa redução está diretamente ligada à possibilidade de rompimento do teto de gastos já em 2021.Isso acontece porque se o teto de gastos estourar, os gatilhos que seriam acionados pela Emenda Constitucional 95 produziriam um congelamento dos gastos de pessoal. Isso porque as regras estabelecem que não há mais reajuste para o funcionalismo e não poderão ser realizados concursos públicos, até que as contas entrem em ordem. Para chegar a esse número de gastos proporcionais a 2,3% do PIB em 2030, a IFI trata do cenário base, em que projeta que haverá reposição de 100% para os servidores que se aposentarem até 2021. Os salários médios também foram reajustados pelo IPCA até este ano. Como as contas apontam para o rompimento do teto, os gatilhos para contenção do gasto público já seriam acionados em 2022. Sob esse efeito, as despesas de pessoal passariam de R$ 313 bilhões, em 2019, para R$ 333,2 bilhões, em 2030. Em percentual do PIB, as despesas evoluiriam de 4,4% do PIB, em 2019, para 4,1%, em 2021, passando  a cair mais rapidamente e atingindo nível de 2,3% do PIB em 2030.Na verdade há excesso de pessoal no funcionalismo público e sempre foi administrado como se o dinheiro   não tivesse fim e além disso  altos salários ,benesses e penduricalhos que dobram a folha de pagamento. Não se cobra produtividade e existe a estabilidade que favorece os vícios e os inúteis dificilmente podem ser demitidos.

 


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm