O que são as escolas charter e por que você gostaria de ter uma perto de você - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

O que são as escolas charter e por que você gostaria de ter uma perto de você

Por: Elite FM
Publicado em 13/11/2019

Em1998,chegou ao Brasil, graças a uma lei federal, um modelo de gestão pública que havia sido desenvolvido nos países anglo-saxões ao longo da década anterior. Ele previa que o Estado deveria definir amplas políticas de atuação, mas delegar à iniciativa privada o dia a dia da prestação de serviços aos cidadãos. Como parte desse conceito surgiram as parcerias com as Organizações Sociais (OS), entidades privadas ou organizações não governamentais contratadas para gerenciar espaços públicos. As OS tendem a ser mais ágeis e menos burocráticas, por exemplo, para os processos de compra de material. No trato com seus funcionários, costumam exigir mais do desempenho, já que podem demitir, e também, por outro lado, pagar bonificações para os melhores profissionais. Precisam cumprir metas claras, definidas pelo governo, ou então perdem o direito de administrar o local. Esse tipo de parceria se disseminou pelo Brasil em duas áreas em especial: saúde e cultura. Em teoria, esse tipo de parceria poderia ser instaurado também na educação, como acontece, com altos índices de sucesso, nos Estados Unidos, na Inglaterra e no Japão, entre outros países. Os americanos chamam esse modelo de escolas charter, instituições de ensino privadas que não cobram mensalidades de seus alunos, porque são financiadas por dinheiro público.“A rotina de uma escola depende de uma quantidade infinita de decisões rotineiras, desde a compra de material de esportes e de arte até o conserto de computadores e reformas nas salas de aula”, afirma Fernando Schüler, cientista político, professor do Insper e pesquisador das escolas charter.Funciona assim no mundo inteiro, é uma tendência internacional de gestão pública”.Ainda assim, são raríssimas no Brasil as experiências de escolas charter (expressão que significa “contrato”, ou “alvará”)porque existe no Brasil um lobby pela educação estatal liderada   pelos sindicatos, que são uma força conservadora, avessa a mudanças na estrutura da carreira de ensino.(GP)