Após Previdência, alvo de Bolsonaro são os servidores públicos. Veja o que pode mudar - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Após Previdência, alvo de Bolsonaro são os servidores públicos. Veja o que pode mudar

Por: Elite FM
Publicado em 29/10/2019
img
Foto: Ana Volpe/SRP

Depois de meses de tramitação, a reforma da Previdência depende, agora, apenas da promulgação para entrar em vigor. As novas regras para a concessão de aposentadorias, porém, são apenas o primeiro passo do ajuste fiscal pretendido pela gestão de Jair Bolsonaro para a máquina pública brasileira. O próximo alvo definido: os servidores públicos. Segundo dados do Tesouro Nacional, os gastos com pessoal e com a Previdência representam, desde 2016, mais de 60% das despesas totais do governo federal, excluindo o pagamento de juros, o que é um absurdo  criado por irresponsabilidade dos governos que imaginavam que o dinheiro  desse em árvores. O maior peso é a Previdência Social: em 2018, os gastos com os benefícios do INSS representaram pouco mais de 43% do dispêndio total do governo federal. As despesas com pessoal, por sua vez, representaram 22% dos gastos. Apesar de o texto formal não ter sido apresentado, o Executivo já adiantou pontos que estão em estudo. Os servidores já se mobilizam para enfrentar a reforma administrativa e ninguém quer perder vantagens, mesmo com salários  96% bem  superiores aos da iniciativa privada e a sociedade ser obrigada a pagar essa conta. Na reforma se prevê redução de salários iniciais e reestruturação nas carreiras. Um dos problemas identificados pela equipe econômica é de que o salário inicial de quem ingressa no serviço público é muito elevado. Além disso, a progressão é rápida. Servidores públicos chegam ao topo da carreira com pouco tempo de serviço, e passam longos períodos recebendo o salário mais alto para aquela função. Estudo do Banco Mundial corrobora essa tese, apontando que os servidores públicos federais ganham, em média, 96% mais do que os trabalhadores da iniciativa privada em funções semelhantes. De acordo com dados do Painel Estatístico de Pessoal (PEP), vinculado ao Ministério da Economia, o menor salário do serviço público federal, para o nível de auxiliar, é de R$ 1,4 mil. O maior chega aos R$ 30,9 mil, para funcionários com nível superior. O Banco Mundial aponta que somente 15% das carreiras da administração federal têm salário inicial inferior a R$ 5 mil.


Fonte: Gazeta do Povo