Menos cidades, mais potencial: o cenário do Paraná no Mapa do Turismo Brasileiro - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Menos cidades, mais potencial: o cenário do Paraná no Mapa do Turismo Brasileiro

Por: Elite FM
Publicado em 14/10/2019
img
"Mapa turístico do Paraná| Foto: Infografia/Gazeta do Povo"

Pato Branco está no grupo B em categoria que vai até E. Paraná tem 14 regiões turísticas. O Ministério do Turismo reduziu em 66 o número de cidades consideradas turísticas no Paraná na mais recente atualização do mapeamento nacional feito pela pasta. De 283, o estado passou a ter 217 municípios validados pelo ministério. Por outro lado, subiu o número de cidades classificadas nas categorias A e B, ou seja, com maior potencial para o setor.Na atualização, Londrina, no Norte do Paraná, ganhou a classificação máxima, juntando-se a Curitiba e Foz do Iguaçu, no Oeste, entre as cidades na categoria A. Para o diretor técnico da Paraná Turismo, Rafael Andreguetto, a entrada de Londrina no grupo se deve ao crescimento do setor de negócios e eventos na cidade. O grupo de municípios paranaenses classificados como B passou de 9 para 14: Campo Mourão, Cascavel, Guarapuava, Guaratuba, Maringá, Matinhos, Paranaguá,  Ponta Grossa, Pontal do Paraná, São José dos Pinhais, Telêmaco Borba, Toledo e Umuarama e Pato Branco. Além desses, o Paraná tem 29 municípios classificados como C, 142 na categoria D e outros 29 no grupo E.  O mapa é o instrumento que identifica necessidades de investimento e de ações de promoção de cada região do país. Para que a destinação de recursos e as políticas públicas voltadas ao setor de viagens sejam eficazes, a plataforma precisa ser atualizada constantemente. A categorização dos municípios na escala que vai de A a E permite acompanhar o desempenho das economias turísticas locais ao longo dos anos. No sudoeste estão na classificação C : Dois Vizinhos, Francisco Beltrão e Verê, na posição D: Ampere, Barracão,Bom Sucesso, Capanema, Chopinzinho, Coronel Vivida, Mangueirinha,  Mariópolis, Palmas, Realeza e S. Jorge D’Oeste.

 


Fonte: Gazeta do Povo