Sem esforço ou dinheiro: Amazônia recupera 58% das áreas degradadas sozinha - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Sem esforço ou dinheiro: Amazônia recupera 58% das áreas degradadas sozinha

Por: Elite FM
Publicado em 01/09/2019
img
Em 10 anos, floresta recuperou naturalmente 58% de sua área desmatada ou queimada. Medição pretende solucionar deficiência de mapeamento do INPE. Foto: Pixabay/Gazeta do Povo

Se de um lado a mata pega fogo, de outro ela se recupera, ainda que parcialmente. Entre 2004 e 2014, a área de vegetação secundária que se desenvolveu na região depois de derrubadas de árvores cresceu de menos de 100 mil km² para mais 170 mil km², e sua participação saltou de 16,5% de 2004 para 22,8% para 2014. Foi um ganho, portanto, de 70 mil km².É um número expressivo: representa 58% do total perdido no mesmo período para o desmatamento: 120 mil km² de mata primária. Esses dados são relativamente recentes porque, até 2008, o Brasil simplesmente não conhecia a área de mata amazônica que se recuperou depois de queimadas e desmatamentos. Desde 1998, o governo contava com duas ferramentas, que não faziam essa medição. Desde 1988, quem fornece os dados para essa análise é o Projeto de Monitoramento da Floresta Amazônia Brasileira por Satélite (Prodes). O sistema faz uma varredura anual que identifica áreas que, no ano anterior, eram mata, e localiza aquelas que foram derrubadas. Assim, ano após ano, as áreas desmatadas que foram recuperadas e voltaram a ter vegetação simplesmente não são identificadas pelo Prodes e parte considerável da Amazônia se recupera – uma pequena parte com ações de reflorestamento e a maioria graças à recuperação natural da floresta. A expansão da agricultura na região aconteceu principalmente sobre terras desmatadas antes de 2008 e também sobre áreas antes utilizadas para pasto. Ou seja, em geral, não são os agricultores que desmatam, são os pecuaristas. 


Fonte: Gazeta do Povo