Previsões de crescimento do PIB não se confirmam. De quem é a culpa? - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Previsões de crescimento do PIB não se confirmam. De quem é a culpa?

Por: Elite FM
Publicado em 19/07/2019
img
O Brasil foi sucateado sem implantar infraestruturas sendo palco da maior roubalheira da história e o recomeço precisa de gestão séria e tempo-| Foto: Ricardo Almeida / Arquivo ANPr

Passado o primeiro semestre do governo Bolsonaro, as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país, que estavam na casa dos 2,5% no início do ano, agora estão abaixo de 1%. Mesmo com a reforma da Previdência, o mercado financeiro estima um crescimento de apenas 0,81%l.Otimismo exagerado, erro de diagnóstico, demora para aprovação da reforma, desidratação da proposta original, ausência de uma agenda efetiva pós-reforma e, até, a limitação dos gastos públicos estão entre os fatores apontados por economistas de diferentes correntes de pensamento para a redução nas projeções. “Não foi nos últimos seis meses que o Brasil deixou de crescer o esperado. Foi nos últimos 35 anos”, afirma Marcos Mendes, economista e consultor legislativo do Senado, autor do livro “Por que o Brasil cresce pouco?”. Para ele, o país está passando por uma revisão de modelo econômico, que trará soluções no longo prazo. Veio um governo novo, com popularidade e força das urnas, numa situação muito grave. Não se muda um modelo de 40 anos em seis meses ou um ano. “O excesso de gastos nos últimos anos gerou má alocação de capital, dívida crescente e está por trás da recessão que vivemos, com a piora de risco e confiança”. Quem faz a economia crescer, é o setor privado. Mas demora até que esse modelo de crescimento pífio e oscilante baseado no crescimento do Estado seja substituído pelo crescimento a partir da expansão do setor privado. Precisa abrir espaço para aumento de produtividade, que está estagnada há 36 anos. A verdade é que o Brasil tem todas as condições para a prosperidade, mas precisa de ética, moral e confiança externa , sem os tradicionais   ladrões  produzidos pela esquerda bolivariana.


Fonte: Gazeta do Povo e Elite Fm