Não foi só o diretor petista: o que deixou Bolsonaro e Guedes ‘por aqui’ com Levy - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Não foi só o diretor petista: o que deixou Bolsonaro e Guedes ‘por aqui’ com Levy

Por: Elite FM
Publicado em 20/06/2019

 Não foi só a nomeação de um petista para o BNDES que motivou  a saída de Joaquim Levy, mas também a não abertura da 'caixa-preta' da entidade  para uma  devassa nos empréstimos feitos pelo banco ao longo dos governos petistas, formulada por Bolsonaro na campanha e reafirmada após o resultado das eleições. Levy fez corpo mole diante de uma lista com os 50 maiores tomadores de empréstimos junto ao banco. Os empréstimos que suscitam as críticas foram feitos a empresas como a JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Construtoras investigadas na Operação Lava Jato – Odebrecht, Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão – também tiveram investimentos bancados pelo banco, inclusive em outros países, como Angola, Argentina, Venezuela e República Dominicana. Em julho do ano passado, uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou para o risco envolvendo esses empréstimos para o BNDES, por conta da concentração dos recursos em poucas empresas e do risco de calote envolvido em investimentos realizados em outros países. A Venezuela teria dado um calote ao Brasil e ficou devendo cerca de 1 bilhão e setecentos milhões de dólares. O BNDES também financiou o porto de Mariel em Cuba numa maracutaia com o Mais Médicos, financiou infraestruturas também na Argentina e República Dominicana, quando o Brasil era o que mais precisava desse tipo de investimento.


Fonte: Gazeta do Povo