Evolução dos pagamentos não elimina maquininhas, muito menos cartão de débito - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Evolução dos pagamentos não elimina maquininhas, muito menos cartão de débito

Por: Elite FM
Publicado em 16/06/2019

Em meio às discussões em torno da regulamentação do open banking e dos pagamentos instantâneos no Brasil, há quem imagine que eles representam a redução ou o fim de soluções físicas. Mas o futuro que se aproxima é muito mais diversificado do que se imagina e não exclui, por ora, as maquininhas, muito menos o cartão de débito ou de crédito. De 2008 para 2018, o valor transacionado por cartões no país passou de R$ 335,67 bilhões para R$ 1,5 trilhão, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços. No dia a dia das famílias, os pagamentos por cartão já respondem por 40% dos gastos - crescimento que também se deve à abertura gradual do segmento pelos órgãos reguladores, a partir de 2010, e à consequente entrada de novos players na cadeia como um todo. E o potencial de crescimento dessa proporção dos cartões é de que os pagamentos eletrônicos alcancem 60% do total até 2022. No Brasil, há um parque instalado das maquininhas gigante e em pleno desenvolvimento. O grande inimigo hoje no Brasil é o dinheiro espécie, que é algo que acaba se tornando nocivo na sociedade na medida em que permite uma série de coisas que não são boas: corrupção, sonegação, informalidade, violência. A era do pagamento instantâneo e do open banking, os cartões de débito e crédito ainda têm muito a evoluir.


Fonte: Gazeta do Povo