Um em quatro brasileiros não teve trabalho ou trabalhou menos no 1° trimestre - Elite FM 101.7 - Energia positiva no ar!

Um em quatro brasileiros não teve trabalho ou trabalhou menos no 1° trimestre

Por: Elite FM
Publicado em 03/05/2019
img
Fila de emprego em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba/Imagem:Gazeta do Povo

A taxa de subutilização da força de trabalho brasileira bateu recorde no primeiro trimestre de 2019. Segundo o IBGE , chegando a 25%. Isso significa que 28,3 milhões de brasileiros não trabalharam ou trabalharam menos do que gostariam no período. É o maior índice desde o início da série histórica da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) Contínua, iniciada em 2012. Na comparação com o trimestre encerrado em dezembro, houve alta de 5,6%, ou 1,5 milhão de pessoas. No dia do Trabalho,  28 milhões de pessoas não  tiveram condições de comemorar. Entre eles, estão os desempregados, desalentados e aqueles que trabalham menos de 40 horas por semana. O número de pessoas subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas ficou em 6,8 milhões no primeiro trimestre, estável em relação ao trimestre anterior e 10,2% maior do que a verificada nos três primeiros meses de 2018."A subutilização da força de trabalho é o indicador em que os gestores têm que pensar para planejar em políticas públicas. O número de empregados com carteira assinada no país permanece estável por quatro trimestres, em torno de 33 milhões de pessoas. A carteira é que vai demonstrar que os empreendedores abriram empresas e começaram a contratar. Os dados do IBGE mostram que não houve aumento no emprego em nenhum dos setores econômicos. Os setores que mais fecharam vagas no primeiro trimestre foram Construção e Administração pública. A renda do trabalhador se mantém estável desde o segundo trimestre de 2017.A tributação  representa um assalto  a quem trabalha e produz e a burocracia representa uma pá de cal sobre os investidores. A carga social sobre a folha de pagamento representa  106% a mais do que efetivamente o empregado ganha.Conclusão: gerar empregos chega a ser motivo de beatificação segundo alguns analistas.


Fonte: Gazeta do Povo

Fonte das fotos: Imagem:Gazeta do Povo